A Copa do Mundo é uma bomba de poluição

Hoje inicia-se a Blogagem Coletiva Ambiental (15, 16 e 17/06) e além disto, tem jogo do Brasil na Copa do Mundo, são milhares de pessoas espalhadas pelo Planeta esperando este dia, são 11 jogadores em campo, uma bola, 32 seleções classificadas, 30 dias de competição e 2,75 milhões de toneladas de dióxido de carbono emitidas :O.

estadio

Não se espante com a disparidade do último número: segundo um estudo realizado pela Embaixada da Noruega e pelo governo da África do Sul, a Copa do Mundo 2010 será o evento com as maiores emissões do mundo dentre aqueles que se propuseram a ser “neutros” em carbono.

A principal responsável por essas emissões é a quantidade de viagens internacionais ligadas ao evento, responsáveis por 1.856.589 toneladas de CO2, ou 67% do total. Ainda assim, excluindo este número, a pegada de carbono do mundial da FIFA 2010 é mais de oito vezes a estimada da Copa de 2006 na Alemanha.

A análise detalhou a origem das emissões (e como poluição sonora não fazia parte do estudo, as vuvuzelas escaparam da culpa).O transporte entre cidades deve corresponder a 484.961 toneladas, já o transporte dentro das cidades representa 39.577.

A construção dos estádios e uso dos materiais corresponde a 15.359toneladas de emissões, já o uso dos mesmos, incluindo gastos energéticos, deve ficar em torno de 16.637 toneladas. O uso de energia nas acomodações dos turistas, atletas, comissões técnicas, imprensa e etc representam 12% do total – 340.128 toneladas.

Entre os fatores apontados para o impressionante número total (2.753.250 toneladas emitidas) está a localização geográfica da África do Sul. Outro fator que contribui é que, apesar dos investimentos da organização para diminuir as emissões na construção de estádios, há poucos meios de transporte “limpos”, como trens elétricos, ligando as cidades.

Vulcao

Há, eu fico pensando, isto ocorre de 4 em 4 anos, as viagens nunca param, e as Olimpíadas? E o  cáos no transporte aéreo durante a erupção do vulcão na Islândia – Eyjafjallajokull – a quantidade de poluentes que lançou na atmosfera uma coluna de cinzas com até 6 quilômetros de altura e, após 40 horas de atividade, o vulcão não dava sinais de adormecer. Ele fica localizado embaixo da quinta maior geleira islandesa e já teve cinco erupções desde que se assentou no subterrâneo, no século 9.

Eventos como estes, digo fenômenos naturais, podem providenciar situações ainda piores que eventos como a Copa do Mundo ou as Olimpíadas, o certo é que, quem é que não fica um pouquinho mais feliz durante a Copa? Eu fico!

Eu creio no aprendizado que táis eventos e estudos podem trazer, digo para a próxima Copa do Mundo, que será aqui no Brasil, talvez meios de controle de liberação destes poluentes, frotas de aviões com mais pessoas, para não ocasionar duplicações de vôos, entre outros métodos. Isto sim deve ser discutido.

Dica: @nicholasit / Fonte: Info.