A Mulher e o meio ambiente na visão dos blogs

E hoje é um grande dia para nós, mulheres, que foram fortes, decididas, corajosas, educadas, pacientes, delicadas quando se tinha que ser, mentiram, choraram e defenderam, bem mais fortes do que eu, e que conseguiram escrever seus nomes na história.

Não sabia muito o que escrever aqui hoje, daí decidi abrir o Google e ver o que aparecia nas palavras “meio ambiente e mulher“, de fato apareceram vários links, separei os primeiros para filosofar, vamos lá!

O primeiro link fala do Observatório da mulher e integra/linka várias matérias sobre o assunto, então, nada muito específico. Mas olha, vale a pena conhecer o projeto do pessoal:

O Observatório da Mulher foi fundado em outubro de 2005, por um grupo de feministas independentes, visando construir novos espaços de atuação. O Observatório da Mulher busca contribuir, resgatar e tornar visíveis as lutas das mulheres no Brasil.  Temos como objetivos principais, promover os direitos das mulheres, a democratizar a comunicação, produzir e veicular  informações sob o ponto de vista das mulheres, promover a educação ambiental e a mudança de hábitos de produção e de consumo além de avaliar as políticas públicas sob a ótica de gênero.

O segundo link é um texto de 2005 do Luiz Eduardo Cheida (que conheci o trabalho dele a pouco tempo pelo twitter e curti o homem que ele é e o que ele faz).

Em seu texto ele faz uma introdução do que o “homem” fez com o meio ambiente no sentido de denigrir o meio e mostra o contrário também, mas um contrário produzido pelas mulheres.

Em todas as civilizações, as deusas da Terra são mulheres. A Terra que tudo dá, que tudo provê, que sustenta, cria e supre as necessidades de tantos e diferentes filhos. Esta Terra é mulher. Talvez, não por acaso.

Terceiro link é da Pastoral da Mulher de Belo Horizonte. Bom ter aparecido as pastorais por aqui, me lembrou da Campanha da Fraternidade deste ano que fala da saúde, e nada mais sensato do que refletir na saúde da mulher, que é algo tão anunciado sempre, em relação ao câncer de mama (com os toques regulares), o câncer do útero, o exame “papa nicolau” que é tão importante para a mulher e também as condições dos hospitais estaduais e municipais que nem andam lá estas maravilhas (isto também é meio ambiente, é a interação do homem com as condições em que ele vive, além de que os remédios, boa parte vem da natureza).

O texto fala-se da mulher forte e da participação desta nas questões ambientais, vale a leitura.

A mulher pode, em seu papel de mãe e educadora, fazer entender que somos parte da ecologia, que o ser humano é ecologia e que não temos o direito de usar o mundo como se fôssemos os únicos donos do planeta.

O quarto link lembra o que acabei de falar, a saúde da mulher! Muito interessante e de grande valia, para mulheres que tem contato direto com substâncias de alto risco:

[…] alguns dos compostos mais comuns que causam ruptura endócrina incluem dioxinas, bifenis policlorinados, bisfenol-A, ftalatos, pesticidas, formaldeídos e metais pesados. Todos comprovadamente causam efeitos nocivos à saúde da mulher. Há muitos outros agentes químicos compostos e subprodutos no meio ambiente que também são tóxicos.

Além disto, apresenta uma lista de como evitar, alguns exemplos:

Compre frutas e verduras orgânicas, cultivadas sem pesticidas, herbicidas, adubos sintéticos ou hormônios.

Compre carne, ovos e laticínios orgânicos, isentos de hormônios. Evite a gordura do animal.

Use sabonetes, detergentes e artigos de limpeza naturais, sem produtos químicos ou perfume.

Ao entrar em casa, tire os sapatos para não trazer resíduos para dentro.

Evite os plásticos tanto quanto possível.

O sexto e último link que escolhi fala da arqueóloga Niéde Guidon, que anos antes dos cientístas convocados pela ONU relatarem as consequências catastróficas do aquecimento global, ela, em forma de protesto, encaminha uma carta aberta aos seus amigos cientistas e homens do futuro. O texto está protegido sob direitos autorais, mas é uma leitura bem interessante e complexo, sobre um apanhado de várias gerações versus o descaso humano

 

Bom, sabe o que tirei de aprendizado desta minha análise vinculada a blogosfera e o contexto da mulher e o meio ambiente? É que somos uma parte importante do que se diz a preservação do meio e isto é bom!

No mais, mulheres que estão lendo esta matéria, Feliz Dia Internacional das Mulheres, lembre-se de muitas que morreram e que durante anos foram marginalizadas e que tiveram forças para reverter e revolucionar muitas coisas que consideramos normal hoje, mas que para elas era um grande tabu. Não podemos esquecer também daquelas que ainda sofrem e que por algum motivo não tem forças para denunciar ou algo assim, espera-se que elas tenham um dia e que se espelhem!

~~~

Nota: Queria dividir com vocês uma rede social que conheci e que está me enchendo os olhos… É o Pinterest!

O meu é o http://pinterest.com/vivoverde/

Muito útil e organizado, nele estou postando as matérias que publico aqui, além de movimentos como o  ‘Bike #ciclootimismo‘ criado pela @samegui do @avidaquer, para que publiquemos fotos, links e informações! Nele eu também posso apresentar um pouquinho dos meus mundinhos, vale a pena acompanhar!