Amarula e Santuário de elefantes enjaularam obras da Elephant Parade

Foto 17-08-17 17 32 47 (1)

O objetivo era chamar atenção para o Dia Mundial do Elefante e para a preservação da espécie.

As fotos feitas pelo público se transformarão em doação para o resgate de elefantes que vivem em cativeiro.

As seis esculturas patrocinadas por Amarula na Elephant Parade, exposição que acontece nas ruas em São Paulo, foram alvo de uma intervenção na madrugada do dia 9 de agosto. Os elefantes amanheceram cercados por jaulas, que exibiam placas com mensagens de conscientização para a preservação da espécie, destacando problemas como a caça ilegal e o aprisionamento em condições precárias.

Com a intervenção, Amarula reforçou o compromisso global com a preservação dos elefantes e convida o público a divulgar a causa e contribuir com ela, compartilhando fotos das obras com e sem as jaulas – as jaulas foram retiradas no dia Mundial do Elefante, 12 de agosto, celebrando a liberdade dos animais. Para cada foto publicada de um dos 6 elefantes da marca no Instagram com a hashtag #CoraçãodeElefante, Amarula doará R$ 1,00 ao Santuário de Elefantes Brasil, ONG responsável pelo resgate desses animais de cativeiros na América do Sul. Válido para fotos entre os dias 09 e 31 de agosto.

“O problema dos elefantes atualmente não está no radar das pessoas. No mundo, a cada 15 minutos um elefante é morto pelo marfim e, no Brasil, muitos ainda vivem aprisionados. O objetivo desta ação é duplo: dar visibilidade para esta causa tão importante e arrecadar fundos para resgatar elefantes e levá-los para o Santuário na Chapada dos Guimarães”, diz Theo Leal, Gerente de Marketing da Distell na América Latina.

Ao final da Elephant Parade, as seis obras serão leiloadas também em prol do Santuário, e vão ajudar no resgate de mais elefantes que vivem em condições precárias.

4

Como participar
Tire uma foto com um ou mais desses elefantes:
· Elefa – Mauro Martins (Av. Paulista, 1500)
· O Jardineiro do Entardecer – Binho Ribeiro (Av. Brigadeiro Faria Lima, 2785 com a Av. Cidade Jardim)
· ULA – Antonio Peticov (R. Estados Unidos, 1595 com R. Haddock Lobo)
· Sunset – Rafael Mantesso (Pq do Povo)
· Brenda – Gian Luca Ewbank (Faria Lima com JK)
· Coração de Marfim – Rodrigo Falco (Av. Paulista, 1294)

E publique no Instagram com a hashtag #CoraçãodeElefante até o dia 31 de agosto.

Cada foto publicada das obras, com a hashtag, vale R$1,00 para o Santuário de Elefantes doado por Amarula.

O valor total alcançado com as fotos será somado ao da iniciativa “O Regaste dos Elefantes”.

3

Em Nova Iorque em parceria com a WildlifeDIRECT, ONG que trabalha na preservação desses animais, a marca lançou a campanha “Don’t Let Them Disappear” (Não deixe que desapareçam, em tradução livre). A estratégia global busca aumentar a conscientização sobre as dificuldades de proteger as populações cada vez menores de elefantes africanos. O foco da campanha é uma estratégia de arrecadação de fundos, onde a marca doará US$ 1,00 à WildlifeDIRECT por cada garrafa de Amarula vendida nos E.U.A entre 1 de setembro e 31 de dezembro de 2017.

Para lançar a campanha “Don’t Let Them Disappear” nos E.U.A, Amarula organizou uma ativação em Nova Iorque no dia mundial do elefante (12 de agosto), onde uma escultura de elefante africano feita de gelo foi exposta nas ruas em meio ao calor do verão, simbolizando o rápido desaparecimento da população desses animais na África. O “Elefante Que Desaparece” foi exibido no Union Square Park pela manhã. A escultura foi uma criação de Shintaro Okamoto, famoso escultor de gelo, criada a partir de 85 blocos de gelo, pesando mais de 8.000 Kg quando pronta. Ao longo do dia, essa enorme escultura derreteu completamente, simbolizando a preocupante velocidade de desaparecimento dos elefantes africanos por conta de caça ilegal. A Dra. Paula Kahumbu, especialista em elefantes africanos e CEO da WildlifeDIRECT, esteve presente para informar o público e ajudar na conscientização.

1

“Restam apenas cerca de 400.000 elefantes africanos no mundo, e perdemos mais um a cada 15 minutos devido à caça ilegal. Nós precisamos ajudar na conscientização desse problema”. Diz a Dra. Kahumbu. “Essa campanha é uma parte essencial do nosso plano global de conservação, e a arrecadação feita com a ajuda de Amarula vai realmente fazer a diferença”.