Carnaval: xixi na rua e muita sujeira

Não sou muito fã de carnaval, confesso que já fui, mas hoje eu prefiro viajar para algum lugar no qual eu não conheço “ainda” e curtir, descansar e aproveitar do lugar. O que não aconteceu neste carnaval, pois fui para a casa dos meus pais para revê-los e descansar.

Com toda esta mordomia acabei virando uma observadora de hábitos carnavalescos, a maioria destas observações foi na  TV, afinal fiquei definitivamente “enfurnada” em casa.

16-02-10_web

Fonte: Google Imagens

 

Das coisas que observei e escolhi para comentar nesta matéria pós-carnaval a que mais me incomodou, principalmente por ter analisado os dois lados da situação, foi a ação de fazer xixi nas ruas.

O carnaval de rua é um evento que precisa estar bem preparado, afinal é uma mistura de muita bebida e a necessidade extrema de se ir ao banheiro toda hora.

Em uma entrevista no Jornal da Globo, mostrou os foliões reivindicando que não havia banheiros químicos por perto, até mesmo a repórter justificou a necessidade deste. Em outro momento mostrava a prefeitura do Rio de Janeiro falando do número de pessoas que haviam sido detidas por causa dos flagrantes.

Confesso que a situação é fácil, primeiro por parte da prefeitura, em instalar talvez poucos banheiros em um local (02, um masculino e um feminino), mas em vários pontos da cidade, no qual sabe-se que haverá foliões por perto e claro, dobrando o número de banheiros químicos, isto para o próximo ano. Já para os foliões eu considero como mais fácil ainda, pois é apenas a “educação”. As mulheres por fator anatômico, não ficam se expondo ao ato de fazer xixi em qualquer lugar (se bem que eu vi algumas fotos de mulheres mijando em becos do RJ). 

Creio que os homens podem sim segurar um pouco e procurar algum lugar apropriado. Mas, eu já fui ao Rio de Janeiro no mês de janeiro e pude perceber no centro da cidade como há um forte cheiro de urina que exala o centro da cidade (a Lapa por exemplo), fiquei espantada com isto. Devo dizer também que isto não acontece apenas no Rio de Janeiro, mas sim em várias outras cidades, o que ocorre é que neste período há uma maior atenção à cidade do Rio de Janeiro, por isto meus exemplos.

Um outro fato para se questionar é a tamanha sujeira que é provocada em períodos de carnaval, não só neste, sabe-se que em período de Festa Junina não é muito diferente. Onde há aglomeração de pessoas, pode-se saber que haverá também muito lixo!

Eu não gosto mesmo de jogar lixo nas ruas, acho incômodo e posso andar por muitos metros com algo na mão até encontrar um local apropriado para o descarte, diga-se que posso andar até quilômetros, considerando que faço da minha bolsa uma lixeira.

Voltando para minha casa em Palmas/TO, parei em um Ponto de Apoio para pegar um ônibus, ao esperar, fui até a rodovia BR-153 e foi nítida a presença de muitas latinhas de alumínio que estavam no acostamento. Enquanto estávamos eu e minha mãe aguardando, um senhor passava coletando as latinhas, havíamos visto este senhor há muitos quilômetros atrás, até que ele chegou ao Ponto de Apoio também e com os sacos cheios, percebemos que ele estava coletando, e ele seguiu viagem.

Achei a cena bem interessante: primeiro pela presença em grande número das latinhas de alumínio, o que mostra que ainda há MUITAS  pessoas que jogam “coisas” pela janela de seus carros, ignorando o uso de sacolas para coleta de resíduos; segundo que ainda há pessoas que coletam estes resíduos nos acostamentos das estradas.

Bom, é isto que tenho para falar. Você encontrou alguma outra? Comente.

Mas antes disto, veja este vídeo que assisti no Blog Suspensa: As verdades sobre o carnaval.