Criar galinhas é ecológico e saudável

Criar galinhas é ecológico e saudável

Há alguns meses atrás (julho de 2014), a notícia da proibição de criar galinhas em Muzambinho, cidade no interior de Minas Gerais, chamou a atenção da mídia.
Diferentemente do que falamos aqui agora, a proibição lá, além de ser apenas para o perímetro urbano, teve suas razões de ser.
Pelo menos foi o que alegou a Vigilância Sanitária da cidade na época.
Por isso antes de pensar em criar os espertos bípedes, pesquise no Código Municipal de sua cidade a viabilidade da questão.

criar-galinhas-grupo-loby

Na contra mão da notícia relatada, o grupo novaiorquino LOBY, está promovendo cursos gratuitos e dando suporte necessário para ensinar as pessoas como criar galinhas, porém de maneira sustentável e sem transtornos para a vizinhança e para elas mesmas.
Segundo os idealizadores o objetivo é ensinar as pessoas a criarem suas próprias galinhas dentro da cidade para reduzir a chamada “pegada ambiental” de cada um através de fatores como:

  • redução no transporte de ovos e carne de frango (menos gastos de combustíeis);
  • diminuição do desperdício de alimentos que normalmente são enviados para aterros;
  • diminuição da energia e de substâncias químicas nocivas utilizadas na produção desses alimentos;
  • diminuição no consumo de combustíveis fósseis normalmente usados em máquinas para pulverização de implementos;
  • e, claro, a criação de galinhas é muito divertido!

criar-galinhas-grupo-loby-3

Os tópicos principais abordados no curso são:

  • Cuidados básicos com o frango;
  • Manuseio seguro de ovos;
  • Necessidades dietéticas;
  • Necessidades e opções de Habitação;
  • Integração de galinhas em um jardim;
  • Cuidado sazonal;
  • Escolha da raça
  • Limpeza e Manutenção, entre outros.

criar-galinhas-grupo-loby-2

Polêmicas ou não, atitudes assim são memoráveis e dou os parabéns ao Grupo Loby.
Todos sabemos que qualquer animal criado apenas com recursos naturais com certeza será muito mais saudável para consumo.
Além do que, esses chamados “frangos de granja” que são praticamente “crescidos” na marra, a base de hormônios e sabe-se lá o que mais, podem muito bem ter os efeitos nocivos desses mesmos continuando a agir no nosso organismo.
Quem garante que não?
Então, mais do que sustentável e extremamente mais saudável para quem consumir esta carne (e ovos), este projeto criativo e trabalhoso deveria ser adotado em larga escala, pois em uma época em que injetam água em frango para aumentar o peso, nada mais seguro do que ter as próprias galinhas.
Ou pelo menos comprar do vizinho.
Grande abraço!