O amor pela natureza

Assim como muitos profissionais de necessidade comum (médicos, dentistas, fisioterapeutas, entre tantos), gostaria que a minha profissão não fosse tão necessária.

É preciso que tenhamos consciência dos nossos próprios atos.  Na verdade, só não queria ter que provar para a sociedade que todo ser humano deveria ter em seu DNA, o amor pela natureza. E hoje me sinto com esse dever, embora não fosse meu desejo e  o de ninguém  neste mundo. A nossa causa é em favor da sobrevivência, nós portadores da racionalidade, nos comprometemos com isso. Precisamos ser lembrados que é necessário conservar nosso bem maior, que é fundamental valorizar a harmonia da atividade humana com a conservação da biodiversidade, e que o uso racional dos recursos naturais é em favor de benefícios para os cidadãos de hoje e das futuras gerações.

Me sinto impulsionada a defender o que nos resta, e felizmente espero ter chegado a esta vida em tempo, e comprometo-me que por toda minha jornada nesta terra antes de emitir qualquer palavra, pensamento ou resíduo, vou pensar nas gerações futuras, e em quanto tiver forças, vou abraçar esta causa, vou me dedicar a busca de soluções para sempre melhorar.

Por tanto, é imprescindível que formem seres humanos dotados desses deveres. Que a educação ambiental, seja base de todo caráter. E nunca deixem de acreditar que nossa profissão esta aqui para lembrar o mundo que ainda tem jeito.