O que fazer com o óleo de cozinha usado?

oleodecozinha

Por Giovanni Salera Júnior*

Grande parte das refeições e alimentos preparados diariamente conta com o uso de óleo vegetal. Assim, em todas as residências e em inúmeros estabelecimentos, como restaurantes, lanchonetes, bares, hotéis etc. e em cantinas nas Escolas públicas e privadas uma grande quantidade de óleo é utilizada periodicamente.

Óleo

Todos hão de concordar que o uso de óleo vegetal na preparação de alimentos é indispensável, mas o que se deve fazer com o óleo utilizado na preparação desses alimentos ???
Se esse óleo é jogado no ralo da pia, isso causa uma série de problemas e se ele é posto no lixo comum, também. Quando o descarte ocorre em uma região com rede de captação de esgotos, parte do óleo adere às paredes das tubulações e absorve outras substâncias. Essa mistura pegajosa reduz o diâmetro das tubulações prejudicando o transporte do esgoto, aumentando a pressão e os vazamentos, diminuindo a vida útil e provocando, em alguns casos, o completo entupimento da rede coletora.
Ademais, caso este resíduo seja despejado em terrenos baldios ou em cursos d’águas (rios, córregos, lagos etc.) há interferência na biota aquática e terrestre. O óleo de fritura polui os rios por conter carga orgânica elevada que, em sua digestão, requer oxigênio dissolvido essencial à respiração dos peixes e outras formas de vida. Também contribui para formar um filme flotante que prejudica a oxigenação das águas.

Não jogue óleo na água!

Quando lançado no solo, causa a impermeabilização dos leitos e terrenos, contribuindo com inundações e enchentes, ou entra em decomposição, soltando gás metano durante esse processo, causando mau cheiro, além de agravar o efeito estufa.
O óleo lançado nos rios aumenta o custo do tratamento da água, por que obstrui os filtros existentes nas Estações de Tratamento de Água (ETA’s), tornando-se assim um grande obstáculo ao seu bom funcionamento.
Deve-se destacar que as Estações de Tratamento de Esgoto (ETE’s) de modo geral não estão preparadas para receber a enorme quantidade de óleo de cozinha despejado pela população. Da mesma forma, quando há o despejo em lixões ou em Aterros, invariavelmente, tal óleo é enterrado com os demais resíduos podendo contaminar o lençol freático. Nestes casos, os prejuízos econômicos e os danos ao meio ambiente são enormes.
Experiências diversas têm demonstrado que o óleo vegetal utilizado na preparação de alimentos pode ser empregado como matéria-prima para diversas indústrias, tais como: saboeiras, detergentes, produção de resina para tintas, glicerina, ração animal, biodiesel e graxas. Mas, para que as empresas recebam a matéria-prima reciclada, é necessário que o óleo seja descartado de forma adequada.
Portanto, têm surgido, por todo país, Projetos de instituições públicas, da iniciativa privada ou de Organizações Não Governamentais (ONG’s) voltados para o recebimento do óleo usado de estabelecimentos comerciais, públicos e residenciais, que reciclam o material e vendem ou repassam para as empresas ou outras instituições interessadas. Esses Projetos têm surtido muitos benefícios ambientais, pois a reciclagem do óleo gera renda e colabora com a proteção da natureza.
Exemplos variados têm mostrado que o envolvimento da comunidade é fundamental para que esses programas de coletas tenham sucesso.
Assim, sugiro a você que procure se informar sobre a existência de um trabalho semelhante em sua cidade e, caso não exista nenhum, faça sua parte, mobilize-se com amigos e crie um para ajudar na proteção do meio ambiente. Não fique parado, faça a sua parte e ajude a construir um mundo melhor !!!

__________________


PS: Aproveito para indicar a receita de minha mãe de Sabão feito de Álcool com óleo usado =]

PS2: Dê um nome para a nova coluna do Giovanni sobre Bioologia! Mande as sugestões para meu Twitter @VivoVerde


*Giovanni Salera Júnior – Ele é Mestre em Ciências do Ambiente e Especialista em Direito Ambiental. Atualmente é Analista Ambiental do Governo Federal. E começará uma coluna voltada a biologia, aqui no VivoVerde!
Maiores informações em: Recanto das letras
Curriculum Vitae: Lattes