Pesquisa da Universidade de Yale ressalta o impacto de componentes naturais na temperatura terrestre

Agora o #BlogVV vai vir com notícias quentinhas diretamente da Universidade de Yale! Desta vez trata-se de um novo estudo sobre o impacto dos componentes naturais na temperatura terrestre divulgada pela Yale. Segundo a pesquisa, a liberação de compostos orgânicos voláteis de florestas e a fumaça de incêndios por causas naturais há três milhões de anos geraram muito mais impacto no aquecimento global do que antigos níveis de dióxido de carbono na atmosfera terrestre.

 Nadine Unger com ômega supercomputador da Yale.


Nadine Unger com ômega supercomputador da Yale.

Seguem alguns destaques do estudo:

  • Componentes reagentes alteravam o equilíbrio da radiação da Terra, contribuindo para um aquecimento do planeta de 2 a 3 vezes maior do que o efeito do dióxido de carbono.

  • O estudo evidencia a complexidade de mudanças climáticas e a relevância de componentes naturais, segundo autores. No entanto, eles não descartam o papel significativo das emissões de CO2 geradas pelo homem hoje.

  • A descoberta é importante para o melhor entendimento das mudanças climáticas ao longo da história do planeta, e tem implicações para o impacto do desmatamento e para o papel das florestas nas estratégias de proteção climática.

~~

Amei esta pesquisa, já tinha visto algumas matérias na internet demonstrando a violência dos vulcões em relação aos poluentes que são liberados em cada erupção, mas nunca comparando ou até mesmo dando uma análise concreta sob esta ótima. Considera-se também que o aquecimento global há e não é meramente uma “falácia” como já vi… O que deve ser ressaltado é justamente o papel do “homem poluidor”, ele não pode ser descartado do meio (lugar). Conhecer melhor o meio em que se vive e utilizando de modelos matemáticos e conhecimento é fundamental para vida futura!

E você, o que achou da pesquisa? quer vê-la na íntegra (em inglês)? Clique aqui!