Projeto Luz na Floresta, financiado pela Fundação Nexans, beneficia famílias no Amazonas com energia solar

cc8a0f11-f617-41bb-bf91-a32dfe6dc259

O Projeto, de autoria da ONG Pacto Amazônico, começou a ser desenvolvido em 2017 e entrou no ar este ano, beneficiando famílias da Floresta Nacional Humaitá, criada em 1998, pelo Decreto nº 2.485, no município de Humaitá, AM, com o objetivo principal de eliminar a extração ilegal de madeira na região sul da Amazônia, área do arco de desmatamento e densificação demográfica.

 A FLONA Humaitá possui uma área de 473.158.962 hectares e abrange oficialmente municípios de Humaitá, no Estado do Amazonas e Calama, no Estado de Rondônia. Dentro da área residem oito comunidades – Paraná Buiuçú, Igarapé do Bujuçú Solomão, Boa Esperança, Barro Vermelho, Barreiras do Tambaqui, Maici e Palha Preta. A população das comunidades é composta por pequenos produtores familiares e extrativistas, pescadores tradicionais da região sul da Amazônia, sem acesso a saneamento básico, eletricidade, saúde, educação e sobrevivem com muita dificuldade, em condições mínimas de sobrevivência.

 A energia nessas comunidades é fornecida por pequenos geradores a diesel e, em muitos casos, não funciona; é mantida pelo esforço das famílias que precisam pagar contribuições para garantir poucas horas de operação a noite.

O Projeto de acesso à energia, escolhido em 2017 pela Fundação Nexans, é um dos dois projetos no Brasil a ser beneficiado pela entidade; já teve sua primeira fase completada, que tem servido a quatro famílias e já foi estendido a mais duas comunidades.

Com a produção de energia limpa para estas famílias serão abertas novas possibilidades de melhora da qualidade de suas vidas, permitindo o armazenamento de alimentos, comunicação, melhorando a produção doméstica de produtos da biodiversidade e proporcionando lazer e mais conforto.

Esta será a Fase II do projeto na região, o Instituto do Pacto da Amazônico seguirá com os esforços de forma a que possa multiplicar essa experiência em mais comunidades amazônicas do rio Madeira no futuro.

Participaram como parceiros junto ao Instituto Pacto Amazônico, vencedora da seleção realizada, o corpo administrativo (ICMBio) que estará contribuindo para a iniciativa com a logística (fornecendo barcos e carros para transporte dos equipamentos envolvidos no projeto), e a Universidade Federal de Amazonas, oferecendo o suporte técnico científico.

55adbebf-610e-4e7a-8e91-9eeb49cea2ac (1)

O Instituto Pacto Amazônico não tem fins lucrativos e foi fundado em 2003; registrado em 2005 para atender às diversas implantações que requerem um modelo de desenvolvimento socioeconômico alternativo e sustentável para a populações de baixa renda da Amazônia, explorando o potencial de forma racional; permitindo a capacitação do processo de produção e mensuração de valor e a participação efetiva em espaços, assegurando a responsabilidade social e ambiental da região.

O projeto está causando verdadeira revolução na vida do beneficiário “famílias”. Muitos dos moradores estão se perguntando como acessar o projeto. Nesta região da Amazônia, o acesso à energia traz uma nova esperança para os moradores da floresta, com impacto positivo em suas vidas.