#VVPergunta – São ações simples da tentativa de zerar o carbono

Recebi esta história da leitora Mayeni Medeiros:

Olá Daiane,

O mais importante que participar é receber uma resposta =D

Sobre a ação pelo Meio Ambiente, o Banco Santander está promovendo um desafio de sustentabilidade, logo, encaminho o projeto (que não passou para a segunda etapa) desenvolvido por mim e duas amigas.

São ações simples da tentativa de zerar o carbono durante a vida acadêmica. Acredito que é uma idéia a ser replicada em qualquer lugar, e o fruto deste trabalho é o apoio que estamos recebendo na ESAG/UDESC pelos professores, que desejam fazer desta idéia um projeto de extensão.

Agora as coisas que a Mayeni faz pelo meio ambiente são bem simples. Em todas as minhas atividades tento reutilizar os materiais que tenho a disposição. Tenho dois irmãos, com isso posso montar diversos brinquedos para eles, a partir de embalagens que iriam fora. Tendo reduzir ao máximo os materiais, por exemplo, vou ao supermercado com bolsas retornáveis, geralmente aquelas ganhadas em eventos, e compro produtos de embalagens reutilizáveis.

Observando minha vida acadêmica, pude observar que o material que mais utilizo é o papel, e na universidade posso dizer que preciso de uma floresta para estudar o conteúdo indicado pelos professores. Para reduzir esse impacto à natureza, minha turma de Administração Pública utiliza como ferramenta de comunicação o e-mail.

É uma ação simples, todos os textos que temos que ler, primeiro procuramos a versão digital na internet, caso não houver uma pessoa é incumbida de digitalizar o texto e mandar para o “e-mail da sala”. Com isso são pelos menos umas 20 cópias reduzidas. Esse e-mail é compartilhado para todas as turmas da faculdade e com o professor, para que na próxima turma ele transmita o material digital. Logo não é só a minha turma que reduzir o consumo de folha.

Sempre que possível, conversamos com o professores para que possamos entregar os trabalhos de forma digital, caso não seja possível solicitamos se a impressão possa ser em folha de rascunho ou frente e verso.

Atualmente essas ações funcionam na minha turma naturalmente, entretanto foi preciso o incentivo de alguns colegas sobre a melhor maneira de realizar uma tarefa reduzindo a agressão ao meio ambiente, e fora da sala de aula, transmitir essas ações à rede de contatos de cada um.

Att.

Mayeni

Apoena

Vídeo produzido pela equipe Apoena para o Desafio de Sustentabilidade do banco Santander.
Equipe: Flávia Feltrin, Mariane Bergmann e Mayeni Medeiros.
Universidade do Estado de Santa Catarina
Ideia: Turmas ‘Carbono Zero’

Colocado os óculos da sustentabilidade, que desafio você identifica na sua instituição de ensino?

As IES em suas unidades administrativas e comunidade acadêmica são emissores de carbono que, por meio de estratégias diversas, poderiam neutralizar ou reduzir sua emissão. Neste sentido, encontram-se desafios a serem superados na infra-estrutura das instalações onde não foram consideradas questões como a ecoeficiência no uso de recursos, no projeto estrutural energético; nas práticas das mais diversas atividades cotidianas, onde o desperdício é conseqüência de escolhas mal feitas. Esses desafios estão fortemente relacionados e influenciados pelas pessoas, em seus valores e conhecimento. Hoje não existem na nossa IES, políticas de educação, conscientização, motivação, e interesse explícito com relação à sustentabilidade. O maior desafio consiste em criar referenciais de acompanhamento das emissões, e discutir a possibilidade de neutralização e redução do CO2 emitido no cotidiano universitário, gerando o comprometimento coletivo e promovendo a mobilização em favor da causa ambiental.

Que ideia você propõe para encarar esse desafio e transformar a realidade?

Nossa proposta é criar um programa com metodologias que possibilitem a medição, o controle, a conscientização e a prática da sustentabilidade, por meio da consolidação do ideal de turmas “carbono zero”, que sirvam como exemplo e incentivo à outros, implementando ações simples, porém efetivas, e que possam ser colocadas em prática de imediato. Será elaborado um cronograma de ações de forma que, ao longo dos semestres, as turmas agreguem novas práticas de cunho ambiental, seguindo os 4R’s (reciclagem, reutilização, redução e revisão). Assim, se poderia começar com estratégias de separação de resíduos, controle e destinação inteligente; no semestre seguinte passaríamos a estratégias de reutilização como a adoção de canecas ou copos de vidro, abolindo o uso de copos descartáveis, divulgando informações sobre impacto ambiental dos resíduos estratégias de ensino que disseminem os valores ecológicos e promovam a prática da sustentabilidade.

Como essa ideia pode ser reproduzida em outras instituições de ensino superior?

Mesmo considerando as particularidades de cada instituição, esta ideia pode ser aplicada, pois sua essência está em valorizar a integração entre universidade, comunidade e mercado. Assim, considerando a realidade da IES que decidir adotar a metodologia, ela terá a liberdade de adequá-la às suas próprias necessidades, pois o ideal de base consiste no estímulo aos acadêmicos em perceber o cenário atual e visualizar uma projeção ante a sustentabilidade, do cenário que prevêem. Além disso, ao fomentar a integração com a comunidade por meio de relações de parceria, é possível promover o incentivo a produção local, gerando uma oportunidade de negócios e, ao mesmo tempo, fortalecer os laços com a população de entorno das IES. Nosso programa teria uma filosofia e sugeriria indicadores de gestão e cronograma de ações. Isso poderia ser adaptado à realidade, capacidade e interesse das IES que optarem por aderir à ideia.

O que sua ideia tem de legal para engajar outras pessoas na sua implementação?

O diferencial está no envolvimento de todos os grupos que compõe a universidade, cujo processo de educação, aliado à práticas organizacionais mais sustentáveis, podem trazer resultados efetivos para a redução do processo de degradação ambiental. A IES assumirá uma posição proativa e disseminará o tema na comunidade, conscientizando sobre uma postura de gestão baseada nos princípios da ecoeficiência e da responsabilidade socioambiental, valorizando o potencial de alunos, técnicos e professores. O corpo discente terá o papel fundamental de ser o elo entre a instituição e a comunidade. Essa troca de experiências permitirá aos alunos o desenvolvimento de uma consciência de sustentabilidade e um diferencial frente ao mercado de trabalho, formando profissionais com um novo olhar da sua realidade. Na comunidade, a ideia fomentará a participação das pessoas, que perceberão a sua importância neste processo, visto que a mudança de atitude depende da ação de cada um de nós.

Por que sua ideia é sustentável? Quais são os impactos econômicos, sociais e ambientais que ela pode trazer?

A ideia tem o objetivo de conscientizar a comunidade sobre a importância da reciclagem, da gestão de resíduos sólidos e utilização responsável de materiais e recursos naturais, além de estimular a visão crítica dos processos vigentes com vistas à revê-los, repensá-los e reestruturá-los. Com isso, incentiva o corpo técnico-administrativo da IES na busca de alternativas sustentáveis para gerar menor impacto em suas operações; estimula a prática docente voltada para a sustentabilidade, dando suporte às suas ações junto aos alunos, com trabalhos voltados para a temática ecológica; e busca apoio junto à comunidade através de parcerias, de modo a levar o conhecimento e a prática para organizações da comunidade. O fim maior é, portanto, a interação entre as dimensões social, econômica e ambiental, bem como o incentivo ao envolvimento da sociedade no universo da sustentabilidade, ou seja, a possibilidade do cidadão em ver além, garantindo as condições de vida necessárias às próximas gerações.

Esta coluna existe há um tempo, é o “VivoVerde Pergunta”, para participar é bem fácil, basta me mandar um e-mail respondendo: O que você faz pelo meio ambiente? para contato@vivoverde.com.br!

Participe, sua história pode vir parar aqui, no VivoVerde! =D