Veja orientações sobre acidentes com animais peçonhentos

Os acidentes relacionados a animais peçonhentos no Tocantins é algo muito comum, por conta do clima e da diversidade no bioma da região. Diante disso, a Assessoria de Zoonoses e Animais Peçonhentos, da Secretaria de Estado da Saúde (SES), alerta a população sobre os cuidados que devem ser tomados para que diminuam as incidências relacionadas a esse tipo de animais.

A Responsável pela área de Zoonoses e Animais Peçonhentos, Iza Alencar explica que “adotar medidas de cuidados e prevenção de acidentes é a forma mais eficaz para diminuir o número de casos no Estado. Acidentes por animais peçonhentos é o terceiro agravo mais notificado no Tocantins, que possui 37 unidades de saúde, distribuídas por todo o território, capacitadas para realizar o tratamento dos acidentados com o uso de soro antipeçonhento específico para os casos de serpentes peçonhentas, aranhas, escorpiões e alguns tipos de lagartas”.

brown python
Photo by Diego Madrigal on Pexels.com

Em 2019 foram contabilizados um total de 5.279 casos, destes 2.007 casos foram causados por escorpiões; 1.020 por serpentes, 629 por abelhas, 436 por arraias, 271 por aranhas e 209 por lagartas. Já no ano de 2020, entre os meses de janeiro e agosto (dados referentes até o dia 20/08), o Estado já conta com 3.019 casos, sendo 1.085 por escorpiões, 697 por serpentes, 271 por abelhas, 263 por arraias e 193 por aranhas. Além dos animais citados, ocorreram também acidentes em menores quantidades causados por marimbondos, lacraias, formigas e bagres.

person holding a scorpion
Photo by Sippakorn Yamkasikorn on Pexels.com

O principal agente causador de acidentes com este tipo de animal no Tocantins é o escorpião e os cuidados com este animal são feitos a partir da adoção de medidas simples, como verificar calçados e roupas antes de usá-las, manter a casa sempre limpa, evitar entulhos próximos a residências, além de se atentar a limpeza constante de armários, guarda-roupas, fazer a utilização de botas e luvas ao limpar locais escuros e úmidos, isolar buracos em parede, utilizar ralos móveis e vedar caixas de gorduras e de esgotos. 

Outro animal que tem ocorrências em número significativo, de acordo com a Assessoria de Zoonoses e Animais Peçonhentos, principalmente no período de praias no Tocantins, é a arraia, devendo a população ter cuidados redobrados ao frequentar rios e lagos. Ela é seguida pela abelha, causadora de três óbitos só em 2020.

Ainda conforme a área técnica, em caso de acidentes por qualquer um deste tipo de animal, o aconselhável é não tentar furar, cortar, espremer, ou até mesmo fazer sucção no local atingido, é sugerido que imobilize imediatamente o membro atingido e mantenha-o em posição elevada.

Procedimentos

Em caso de encontrar algum destes animais em residência é importante que o serviço de vigilância em saúde do município seja acionado, que os profissionais capacitados irão orientar como proceder para captura ou identificação da espécie. Se ocorrer acidente, a pessoa deve buscar imediatamente o atendimento médico mais próximo e, se possível, levar o animal causador. Dúvidas podem ser esclarecidas através do numero (63) 3218-1735.

Por George Gomes/Governo do Tocantins

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do Portal VivoVerde, nascida e residente de Minaçu/GO e há 12 anos escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultor, ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV | 063999990294

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.