Diferentes, mas ainda… tartarugas

Há eu sempre amei tartarugas, já trabalhei em um Centro de Pesquisa em Goiás e tive o prazer de ir em uma viagem na Ilha do Bananal/TO e presenciar a (nascimento) eclosão de milhares de ovos de tartarugas da Amazônia e também de pequenos tracajás lá na Ilha, uma das sensações mais lindas de minha vida!


Mas agora estas tartarugas me interessaram elas nasceram com um problema que impede a produção da melanina, pigmento colorido que protege a pele do sol (albinas).  E ocorreu com duas tartaruguinhas na reserva de Abufari, no Estado do Amazonas.

No segundo semestre de 2008, fiscais da reserva contabilizaram o nascimento de 381 mil tartarugas. Elas são protegidas dia e noite dos seus predadores e de caçadores da região. Segundo o chefe da Abufari, Fernando Weber, entre as centenas de milhares de tartarugas que nascem na reserva, sempre há uma ou outra albina. “Todo ano nascem, mas são poucas, umas cinco”, explica.

 Adorei saber desta notícia, tanto que é uma paixão, e também porque me fez relembrar bons tempos!

 Daiane Santana

_____________

  • Pessoal vote no TOP30 aí do lado!
  • Procuro parcerias, entre em contato!

Sugestões e dúvidas: daianeea@gmail.com

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

9 comentários em “Diferentes, mas ainda… tartarugas

  • 16 de fevereiro de 2009 em 12:00
    Permalink

    Será que elas precisam de protetor solar? kkkkkkkkk

  • 16 de fevereiro de 2009 em 14:33
    Permalink

    mas não rola de pegar muito sol haaihaia 😛

    bobo 😀

  • 16 de fevereiro de 2009 em 20:58
    Permalink

    Albinasss!!! Quando fiz trabalho voluntário no projeto tamar de ubatuba, pude conferir uma tartaruga da espécie cabeçuda albina, nos carinhosamente e criativos a chamávamos de Albina rsss… além da falta de pigmentação a tartaruga q tomávamos conta tinha um problema de pulmão q a impedia de mergulhar e cega, por este motivo tinhamos q dar comida p ela qse na boca, ai era um flagelo, pois ela vinha pegar a comida com todo gas e morríamos de medo de ter o dedo decepado, pois tartarugas não tem dentes, mas possuem uma força na mandíbula, ela era um pouco estressada, no tanque dela não era permitido visitação!!!

  • 16 de fevereiro de 2009 em 21:03
    Permalink

    ahhhhhhh tem até uma foto escovando o casco dele nas minhas postagens de outubro de 2008!!!

  • 17 de fevereiro de 2009 em 0:43
    Permalink

    lindinha atualiza meu banner por favor.

    ha eu amo tartarugas marinhas. onde eu moro aparece sempre umas perdidas.

  • 4 de março de 2009 em 5:16
    Permalink

    Tartaruga albina é novidade! deve ter colecionador que paga fortunas por estas tartarugas… por aqui vira mexe aparece alguém tentando vender animais silvestres, mas a loucura é se compra para comer…

  • 4 de março de 2009 em 5:24
    Permalink

    Eu diria que a loucura está … já no ato de comprar as tartarugas .. 🙁

    .o/

  • 21 de outubro de 2011 em 15:02
    Permalink

    eu amo tartarugas!
    essa tartaruga tem a carapaça rachada?
    coitada!
    eu adoro tartarugas ddesde pequena!
    vos vou contar minha historiazinha!XD
    eu começei por ter peixes co9mo animal de estimaçao,mas minha mae me dizia que nao se pode pegar neles que eles morrem!
    entao,depois o meu segundo animal foi a tartaruga
    eu ja podia pegar nesse animal e assim amei
    mas agora tambem goste de aves
    ja sou maias velha e tou a pensar criar aves ,as atençao
    nao as vou vender porque nao gosto de despeiddas!XD

  • 21 de outubro de 2011 em 15:05
    Permalink

    ja agora ainda amo as tartarugas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.