Ato criminoso de incêndio em aterro sanitário, além do descaso ainda pode causar doenças ao homem

Desde o dia 05 de outubro a questão ambiental está sendo bem comentada por estas bandas, o aterro sanitário de Palmas/TO foi incendiado por ato criminoso como a mídia diz, no início não consegui muitas informações sobre o caso, para ser bem sincera, até então ainda não as tenho com mais nitidez, por isto acabei esperando que surgisse pelo menos algo definitivo para postar e comentar aqui.

Segundo o portal da Prefeitura Municipal de Palmas/TO, a área afetada pelo fogo no aterro foi resfriada. Na manhã do dia 10, o  secretário de Meio Ambiente e Serviços Públicos (Semasp), Mário Nania esteve no aterro sanitário, acompanhado de  uma equipe do Corpo de Bombeiros,  para fazer o resfriamento  da área atingida  pelo fogo.

“Foram consumidos mais de 20 mil metros quadrados da manta polietileno de alta densidade usada para impermeabilizar o solo e o talude do aterro”

“Além do prejuízo financeiro, os outros danos materiais  foram enormes, pois vamos ter que remover todo entulho,  retirar  toda estrutura de proteção mecânica, substituir a manta geomembrana danificada e  trocar os tubos.”

Ou seja, o estrago foi grande e se não fossem estes problemas que foram “difíceis de solucionar”, teve também o tempo extenso para se tomar as providencias, como foi acompanhado pelo cidadão @duardoribeiro via Twitter:

 

Além disto, ainda lembrou de algo relevante, “a queima de lixo urbano libera dibenzodioxinas, substancia nociva e altamente cancerígena, sem contar as outras substancias tóxicas!”

Acabei lendo algumas matérias sobre a problemática da queima de resíduos sólidos. O grande agravante desta queima é a liberação de uma série de substâncias tóxicas, portanto é recomendado evitar a queima, que só é permitida para serrarias e padarias que utiliza-se de forno com filtro para incineração apenas da madeira.

No homem o maior agravante é de fato as doenças, pois a pessoa pode adquirir desde uma simples alergia, como rinite, até um caso mais grave, como doenças pulmonares crônicas, provocadas pelo monóxido de carbono.

Na cidade de Marau/RS já ocorreu um fato semelhante ao aterro de Palmas/TO, lá o incêndio foi finalizado depois de quase cinco dias. Já em Goiânia/GO o mesmo caso foi controlado em apenas 2 horas!

O caso é que eu como sendo moradora e cidadã de Palmas/TO a quase 10 anos, não me surpreende a demora e o descaso… Ainda mais durante época de eleição, em que a cidade fica uma porcaria de milhares e milhares de santinhos jogados rua a fora, a equipe de limpeza coitados, tem que trabalhar dobrado por quase uma semana para deixar a cidade limpa… Pelo menos na cidade está proibida a veiculação de cavaletes e pinturas em muros já há alguns anos, mas mesmo assim é uma vergonha e chega a ser desumano o que é feito com os garis.

Por estas e outras resolvi fazer uma Fanpage no Facebook com o nome “Até quando vai ficar assim?“, no qual irei monitorar a situação de um lixão urbano localizado próximo a uma área de APP. Mas vou falar com mais calma e cheia de detalhes sobre ele aqui no blog logo logo, enquanto isto, conheça e curta a Fanpage e saiba como participar encaminhando suas fotos de lixões urbanos de sua cidade também! Vamos ver se isto pode um dia mudar, quem sabe!

 

Lembre-se, quem faz a administração da cidade é você, com o poder do voto e também com a reivindicação de melhorias junto ao poder público municipal e quem sabe federal! 

 

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.