O que este cara louco quer dizer com isso?

bandeiranolixo

Por: Luan Felipe

Desde criança somos ensinados a não brigar, xingar ou jogar lixo no chão. Aprendemos que devemos partilhar e ajudar o próximo. Quando crescemos “esquecemos” o que aprendemos, passamos a fazer ao contrário. Jogamos lixos em locais proibidos (resultando em enchentes e alagamentos), brigamos por coisas banais e sem sentido, matamos. Qual seria o propósito disso?

lixo

O meio-ambiente sofre com nossas ações, extraímos recursos a velocidades surpreendentes, poluímos a camada de ozônio, jogamos resíduos tóxicos nos rios. Assim como poluímos podemos preservar, por isso podemos (e devemos) fazer a nossa parte para que nossa existência aqui seja no mínimo “agradável” e “duradoura”. Pensar em ajudar não resolve nem um problema. O mundo não precisa de pensadores, ele já está saturado disso! Pare de pensar e comece a agir! Só assim os resultados irão aparecer.

Você deve estar pensando “o que esse cara louco quer dizer com isso?”. Primeiramente você deve saber que somos apenas MAIS UM ANIMAL, ou seja, assim como outros animais que já foram extintos ou estão na lista de extinção, nós também podemos ser aniquilados da Terra. Feliz?

O que mais me deixa indignado é que, apesar desses problemas ambientais e dessa falta de organização para encontrar soluções, em 1992 já havíamos recebido um aviso de que as coisas não estavam bem. Se em 17 anos nada foi feito, o que podemos esperar nesse “pouco” tempo que nos resta? Se continuarmos esperando, corremos o risco de mais 17 anos se passarem.

Luan Filipe decidiu entrar em contato comigo e disse: “@VivoVerde eu quero mandar matérias para você postar no blog, eu posso?” De imediato aceitei, quando ele me mandou a matéria, fiquei bem feliz, porque foram indagações simples, que eu me pego fazendo sempre e nunca coloquei aqui. Desde já agradeço pela colaboração e espero que não fique apenas nesta! Blog: Sem Preceito ~ Um blog para blog. E seu twitter.

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

4 comentários em “O que este cara louco quer dizer com isso?

  • Pingback:Murilo Lima

  • Pingback:EcoZilla

  • Pingback:Eng. Daiane Santana

  • 25 de março de 2010 em 22:22
    Permalink

    olá daiane e luan

    primeiramente gostaria de dizer que não tenho conhecimento suficiente pra falar de questões ambientais, mas vou me atrever a falar algumas coisas do que penso sobre isso que foi dito no post.

    pra começar, nossa educação doméstica nos ensinou muitas coisas, como foi dito no post, mas sabe porque não incorporarmos isso na vida adulta? porque desde pequenos estamos acostumados a ver nossos pais e mais próximos dizerem o que deve ser feito, mas vemos também eles nao fazerem o que eles dizem ser o certo, o discurso então fica frágil quando não há modelo prático convincente. e assim seguimos…seguimos sabendo que não é certo jogar lixo na rua, mas quando vem a enchente e alaga nossa casa a culpa é do governo e nunca minha, percebe? a culpa é sempre do outro.

    diante disso, penso que para as pessoas terem educação ambiental, capaz de transformar essa realidade devastadora que nos assombra, elas precisam ter conhecimento do assunto e serem aculturadas (acostumadas) a isso.é aquela velha história do costume e dos valores, não adianta querer que seu filho coma frutas e verduras, se você que é pai não come, não adianta você saber que é importante se você não pratica seu próprio discurso teórico.

    é… tá cheio de loucos por aí, eu, você e tanta gente pensando assim como você…mas quem liga pra um saquinho plastico que passeia e vôa pela calçada da rua se tenho o Big Brother pra ver de noite e esquecer que a miséria lá de fora é nossa e não um problema exclusivo do governo?é mais cômodo eu ficar na minha poltrona e ver o “fim do mundo” de camarote. talvez agente só se preocupe quando agente estiver no lugar daquele animal em extinção, aí é que vamos levar essa “loucura” toda mais a sério.

    sonhar não custa nada, mas fazer acontecer custa muito pra muita gente!

    um abraço 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.