A pulga (do mar) devoradora de línguas

Confesso que fiquei foi com medo desta “pulga-do-mar”, me lembrei do candiru, que aterroriza os homens quando vão para os rios, mas enfim… Este é o pulga-do-mar (Cymothoa exigua). O parasita, um crustáceo isópode, se acomoda na base da língua do peixe Luciano (Lutjanus guttatus), devorando-a inteira e literalmente tomando seu lugar. Viu que a situação é grave!

A pulga (do mar) devoradora de línguas

Isto acontece quando o peixe está nadando e a pulga entra em sua boca, sem que ele perceba através de suas brânquias. Então, começa a extrair seu sangue cortando a língua do animal através de seus três pares de pernas com garras fronteiras. Assim ele cresce e atrofia a língua do peixe e lhe toma o lugar, anexando o seu próprio corpo aos músculos do topo da língua (em muitos casos, 90% da língua do peixe deixam de existir, com o crustáceo em seu lugar e agora ele passa a controlar a alimentação do peixe. O parasita fica lá como se fosse de fato a língua do peixe, é considerado o primeiro caso (em animais) em que esta “troca” é “harmoniosa”, se é que eu posso falar assim (rs).

A pulga (do mar) devoradora de línguas

 

Fonte: Super Interessante / ScienceBlogs /Hypescience

 

 

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.