Camisa da seleção, sustentável?

CAmiseta

Pois é, como todos sabem a camisa da seleção brasileira agora é sustentável, sendo feita apenas com material reciclado. Inspirada no uniforme brasileiro da Copa de 1970, a Amarelinha é feita com material 100% reciclado de garrafas plásticas de água e refrigerante. Para cada camisa, foram usadas oito garrafas recicláveis. O produto é 15% mais leve do que o utilizado no Mundial de 2006. Mas eu pergunto e daí?

camisetadaselecao

O uso de roupas feitas de resíduos sólidos recicláveis já é uma realidade, eu já postei aqui no blog matérias sobre empresas que já investem neste ramo aqui no Brasil, falar da camisa ser feita com a utilização de material plástico é um grande avanço, mas jogar isto na mídia se retratando como se fosse o grande feito da copa do mundo?

Há, assim é demais, a maioria sabe que o que interessa é o peso do produto final, na Copa de 2006 já se falava em camisetas da seleção bem mais leves, o que eles descobriram é que, sendo feita de garrafas, que no caso serão as já utilizadas para diminuir o custo e se mostrar uma empresa sustentável, ela ficará mais leve e isto é o que eles querem. Se deixassem isto claro em todo canto que você lê tal matéria, seria bem mais interessante, talvez:

Nike descobre fórmula certa, com material 100% reciclado de garrafas plásticas de água e refrigerante ela fabrica as camisas das Seleções na Copa do Mundo bem mais leves e  sem esquecer do lindo desing das Amarelinhas. Pronto!

Se você tem uma frase melhor, diga-nos.

Fonte: MSN Esportes

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

12 comentários em “Camisa da seleção, sustentável?

  • Pingback:Eng. Daiane Santana

  • Pingback:EcoZilla

  • Pingback:Airton Krauniski

  • Pingback:Airton Krauniski

  • Pingback:Airton Krauniski

  • Pingback:alves rodrigues

  • 5 de março de 2010 em 14:51
    Permalink

    Como já dito em varios lugares, e repito com todo apoio, futebol e BBB são o “Pão e circo” do povo. Basta terem isso para serem felizes, e suas vidas só dão destaque a isso. Isso caiu na midia pra dar ainda mais enfase ao fotebol, com uma ideia de ser um esporte “sustentavel”. E sabendo que as garrafas e as sacolas são um problema, as pessoas ficam felizes com uma noticia destas, mas não fazem nada pra diminuir o uso. Porque o povo é ACOMODADO.
    E o futebol que deveria ser um esporte saudavel, se torna um meio de controle de massas. (desculpa ter tomado tanto espaço, mas precisava liberar minha ira pela copa… u.u)

  • 5 de março de 2010 em 17:58
    Permalink

    Vamos com calma!

    Passar a imagem de que a Nike é a precursora dos tecidos 100% reciclados é um erro, concordo. Tem (é claro) uma jogada de marketing na frase.

    Mas, e se pensarmos pelo lado positivo da coisa (e ele sempre existe)? Ter a camisa da seleção brasileira destaque em todo mundo, feita de com material reciclado é ótimo, claro que para a Nike, que se vangloria com a propaganda, para a CBF, que se mostra “preocupada” (mesmo que isso não seja a plena verdade) e para nós cidadãos. Quanto mais gente souber que existem outras maneiras de fazer o que conhecemos, melhor. Mas que para seja preciso “engolir atravessado” uma frase dessas. Penso que toda divulgação e “marketing” são válidos mesmo que às vezes sejam distorcidos. O importante não é se a camisa é mais leve ou não, o que importa no fundo, é que mais gente vai saber que existe um tecido 100% reciclado, e com isso acaba dando mais credibilidade e importância para ações sustentáveis, ou com intenções sustentáveis, nesse caso. Cabe a nós blogueiros, professores, formadores de opinião em geral esclarecermos as coisas e colocar cada gato no seu balaio, separar o joio do trigo.

    É isso! ¬¬

  • 5 de março de 2010 em 18:35
    Permalink

    E para nós torcedores fanáticos?

    Para poder desfrutar de usar uma peça sustentável, mais leve, e, possivelmente mais confortável sua aquisição será por um preço módico como que condigno com o gasto da utilização de materiais reciclados ou será apenas uma opção de faxada onde ainda a maioria, se comprar, sera a convencional por ser mais barata?

  • Pingback:✔ Gentil Filho ✪✪✪✪✪

  • 11 de março de 2010 em 14:02
    Permalink

    Como diria o ditado uma mentira repetida várias vezes se torna uma verdade…

  • 14 de março de 2010 em 15:16
    Permalink

    Daiane,

    Preciso discordar do Diego: o futebol não tem culpa do uso político-partidário e midiático-empresarial nem de dirigentes comprometidos com esses interesses. Esporte é saúde, ajuda a reduzir a criminalidade e a reduzir a evasão escolar.

    Voltando: caso a seleção dos EUA (cujo fornecedor também é a Nike) termine a Copa entre os quatro primeiros (quase uma utopia, mas não é impossível), estima-se que sejam vendidas mais de 300 MIL camisetas oficiais somente dentro do território estadunidense.

    Devido ao poder aquisitivo médio da população, à quantidade de entusiastas do esporte e ao fato de a Nike ser uma empresa quase onipresente no país, como os EUA têm cerca de 300 milhões de habitantes, 300 000 camisetas em um ano para vestir 1/1000 da população é uma quantidade altamente plausível.

    300 000 camisetas x 8 garrafas pet/camiseta = 2,4 MILHÕES de garrafas recicladas.

    Besos,
    Hélio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.