Em Taywan ocorre um sádico festival de louvor a Deus utilizando porcos

Fiquei horrorizada, perplexa e sem palavras com o e-mail que recebi. Achei de tamanha barbárie o que é feito com estes animais, por pura vaidade, acompanhe a matéria na íntegra abaixo e as imagens:

O Festival “Porcos de Deus”, que acontece em Taiwan, não tem nada de angelical ou sublime. As pessoas se reúnem nas ruas de Shanhsia, em New Taipei City, para assistir porcos com até quatro vezes seu tamanho normal serem pesados e sacrificados. Ganha quem tiver o porco mais “gordo”.

O animal a ser preparado para o concurso é forçado a comer constantemente durante dois anos. Ele chega a ficar tão pesado que não consegue mais se levantar. A tortura física e psicológica causada no bicho faz seus órgãos entrarem em colapso e seu corpo fica tomado por ferimentos devido ao tempo em que ficam deitados, sem conseguir se mover por causa do seu tamanho. Alguns donos chegam a castrar seus porcos, sem anestesia, acreditando que isso os faça engordar mais.

Dias antes da competição, os animais são forçados a comer areia ou metais pesados, como chumbo, para ficarem o mais pesado possível. Na hora do festival, eles são brutalmente arrastados à frente da multidão. Às vezes, são necessários até 20 homens para carregá-los. Lá eles são colocados numa balança e depois têm a garganta cortada. De acordo com relatos, os animais ficam aterrorizados, gritam sem parar e perdem o controle do intestino. Depois de cruelmente sacrificados, os porcos mais obesos são pintados e colocados em carros alegóricos e exibidos pela cidade. Os animais geralmente passam dos 700 quilos, mas já houve casos de porcos que chegaram aos 900 quilos.

A origem deste evento perturbador não é certa, mas dizem que ele faz parte do credo religioso de um grupo étnico conhecido por, Hakkas, com uma população de mais de quatro milhões de pessoas em Taiwan. Contudo, nos últimos anos aparentemente o “Porcos de Deus” se transformou em uma demonstração de poder e riqueza das famílias deste grupo, sem nenhuma intenção religiosa. Naquele país, a engorda e matança de animais são atividades ilegais, mas ativistas dizem que o governo faz “vista grossa” por medo de uma revolta de grupos religiosos.

Grupos de proteção dos direitos dos animais, como a Sociedade Mundial de Proteção dos Animais (WSPA), têm protestado e pedido que os porcos sejam substituídos por réplicas feitas de massa, arroz ou flores. A WSPA Brasil tem em seu site um endereço para um abaixo assinado que pede o fim do “Porcos de Deus”. Para contribuir com sua assinatura, acesse:www.pigsofgod.org

“Eu assinei, assine você também!!”

pig2

pig3

pig4

pig5

pig6

pig1  

 

Fontes: Hypescience | Odditycentral | Tribuna Animal

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

7 comentários em “Em Taywan ocorre um sádico festival de louvor a Deus utilizando porcos

  • 8 de abril de 2011 em 9:57
    Permalink

    O tratamento e o fim que recebem não é muito diferente do que acontece nas criações de porcos do mundo inteiro.

  • 8 de abril de 2011 em 20:56
    Permalink

    É um absurdo o que fazem com esse animais :/ Vou assinar o abaixo assinado agora mesmo!

  • 10 de abril de 2011 em 3:12
    Permalink

    Assim como você, Daiane, assim que li esta matéria, aqui no Vivo Verde, fiquei sem o que dizer. Nunca imaginei crueldade de tal tipo. Já assinei o abaixo-assinado, na torcida para que tal “celebração” acabe o quanto antes. Votos de paz aos porcos de Taiwan.

  • 12 de maio de 2012 em 19:00
    Permalink

    Faço votos para que acabem com esse festival desumano e descabido.

    Rogério Fábregas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.