Estudantes de Gurupi desenvolvem projeto de reciclagem de computadores para utilização em aulas de música

Os laptops faziam parte do antigo projeto-piloto Um Computador por Aluno (UCA) desenvolvido em parceria com o MEC e a Seduc em 2010.

Em junho, durante visita à escola, a titular da Seduc, Adriana Aguiar, acompanhou o trabalho dos estudantes na recuperação dos computadores. Foto: Marcio Vieira

As tecnologias estão em constante atualização e, com frequência, equipamentos se tornam obsoletos, mas o que pouca gente sabe é que, por meio de um processo chamado metarreciclagem, esses equipamentos podem ser reaproveitados dentro de projetos educacionais. Esse foi o start para três estudantes do Colégio Militar do Estado do Tocantins – Presidente Costa e Silva, de Gurupi, iniciarem um trabalho de recuperação dos laptops que faziam parte do antigo projeto Um Computador por Aluno (UCA).

Desde que tiveram a iniciativa, os estudantes já recuperaram mais de 80 computadores. A ideia é que, após passar por uma formatação, os equipamentos possam ser usados na formação dos estudantes do ensino médio técnico em Instrumento Musical, conforme explicou o diretor da unidade de ensino, capitão Tiago do Nascimento Alves de Paula. “Os alunos já estudam com as partituras, com alguns instrumentos. A ideia é aproveitar os laptops para usar aplicativos que promovam o acesso a diferentes instrumentos”, ressaltou.

Quem fala do reaproveitamento de equipamentos eletrônicos para fins educacionais é o gerente de Tecnologias e Mídias Educacionais da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), Erick Henrique Silva Goes. “O reaproveitamento de peças ou equipamentos eletrônicos de informática em projetos criativos é conhecido como metarreciclagem. No contexto pedagógico, esse processo permite o desenvolvimento de projetos interdisciplinares de educomunicação com recursos audiovisuais e de computação que favorecem o desenvolvimento de competências de cultura digital e comunicação”, explicou.

Os laptops faziam parte do projeto UCA, que foi desenvolvido por meio de parceria com o Ministério da Educação, de 2010 a 2013. Trata-se de equipamentos com baixa configuração, baseados em softwares livres e com baixa capacidade de armazenamento de dados e de memória. Pela simplicidade do equipamento, a proposta de metarreciclagem tecnológica é um das alternativas para a manutenção do uso desses equipamentos. 

Solidariedade

Mas o que levou os estudantes a utilizarem alternativas para o uso dos computadores? Solidariedade. Esse foi o espírito que motivou cada um deles, como explica Arthur Vinícius Pires da Silva, aluno da 2ª série do ensino médio. “A gente pensa em todos os nossos colegas e a gente quer fazer uma coisa inovadora. Esse é o ânimo que temos, inovar, trazer possibilidades para melhorar a nossa Educação, a nossa aprendizagem. E nossos planos são fazer um projeto maior, que chegue às outras escolas, e que essas unidades de ensino possam aproveitar esses equipamentos”, ressaltou.

Além de Arthur, estão juntos no projeto os estudantes Hiury Henrique Freire e Brenno Felipe Alves Aires.  “Nossa motivação sempre foi trazer o melhor para a escola. E, agora, com a pandemia, estamos aproveitando o tempo livre para trabalhar na recuperação dos computadores, que serão um importante auxílio nas aulas de música, assim como serão meios de pesquisas ou instrumentos para a realização de aulas diferenciadas”, destacou Hiury Henrique, da 1ª série do ensino médio.  

Por Cláudio Paixão/Governo do Tocantins

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do Portal VivoVerde, nascida e residente de Minaçu/GO e há 12 anos escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultor, ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV | 063999990294

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.