Ford mostra como conciliar produção com preservação de animais selvagens

Imagem: Divulgação

Você pode esperar encontrar muitas coisas em instalações voltadas ao desenvolvimento e produção de automóveis, menos animais selvagens. No entanto, isso é comum nas unidades da Ford instaladas no Brasil e na Argentina, lembrando que em 4 de outubro foi comemorado o Dia Mundial dos Animais.

No Campo de Provas de Tatuí, no interior paulista, por exemplo, a Ford preserva 933.000 m² de áreas verdes que servem de habitat para animais como lobo-guará, tamanduá, veado-catingueiro, quati, onça-parda, jaguatirica e aves como águia cinzenta e jacupemba, entre outros.

Para fazer um inventário desse patrimônio natural, a empresa contratou uma equipe de especialistas que identificou a presença de 368 espécies de animais (277 aves, 70 répteis e 21 mamíferos), além de 120 de flora nativa. Para garantir a segurança desses animais – alguns ameaçados de extinção – foi realizado um extenso trabalho que incluiu a instalação de túneis de passagem, cercas de proteção e obstáculos nas pistas de teste e outros locais estratégicos.

“É responsabilidade nossa preservar a biodiversidade nas nossas áreas e a presença de famílias de animais nesses locais mostra que temos um habitat preservado. Isso evidencia que nossos esforços de recuperação das matas ajuda a criar um ambiente adequado aos animais e preserva a vegetação nativa”, afirma Edmir Mesz, supervisor de Qualidade Ambiental da Ford América do Sul.

Imagem; Divulgação

Esse mesmo cuidado com a conservação do meio ambiente está presente nas demais unidades instaladas no Brasil. O Complexo Industrial Ford Nordeste em Camaçari, na Bahia, com seus 2,4 milhões de m² de área verde, abriga diversos tipos de aves, répteis e anfíbios nativos. E mantém ainda um viveiro que já produziu 286 mil mudas e plantou mais de 353 mil árvores ao redor da fábrica, possibilitando a reabilitação de fragmentos da Mata Atlântica degradados antes da sua chegada.

A Fábrica de Motores e Transmissões da Ford em Taubaté, no interior paulista, tem uma área preservada de 540.000 m² e um lago artificial com água reciclada que serve de refúgio e alimentação para aves nativas e migratórias. Além da preservação da fauna e flora, a Ford desenvolve várias outras ações que são referência em sustentabilidade na indústria, como mostra este vídeo

Na Argentina, a fábrica da Ford em Pacheco também desenvolve um robusto trabalho ambiental. A unidade possui quase 420.000 m² de espaços verdes na província de Buenos Aires, a maior do país. Quase metade da planta é de áreas preservadas, que servem de refúgio e alimento a várias espécies de mamíferos, como capivaras e lebres europeias, além de aves como carancho, gavião misto, coruja-das-torres, calandria, bem-te-vi, pintassilgo e torcaza.

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do Portal VivoVerde, nascida e residente de Minaçu/GO e há 12 anos escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultor, ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV | 063999990294

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.