“Ilha das flores”, como assim às pessoas não o conhecem?

Ilha das flores - Porco

Comecei a dar aulas não tem muito tempo, gostei e gosto muito de lecionar. Poder repassar nosso conhecimento, coisa que já faço aqui também, é bem interessante e além disto é prazeroso. Como é bom quando os alunos estão prestando atenção e melhor, quando eles começam a conversar conosco, as ideias se juntam e vai se formando um emaranhado de conhecimentos, até porque eu também aprendo muito com os meus alunos.

Há uma semana comecei a dar a disciplina de “Tecnologia em Meio ambiente”, além de todo o conteúdo prognóstico que eu deveria repassar aos alunos, nestas conversas durante a sala, comentei sobre o documentário “Ilha das flores”, que para muitos é um clássico, quando se fala em poluição, resídios sólidos e claro… Polegar opositor (rs). Enquanto falava sobre o documentário, percebi que eu parecia uma estranha falando de algo estranho, perguntei quem já havia assistido e a resposta foi negativa por unanimidade, neste momento entendi que eu deveria passar este vídeo para os alunos. Este momento foi ontem, agora aguardo os trabalhos, que será um comparativo a um outro documentário mais contemporâneo, mas com os mesmos olhares.

Para você que ainda não o viu, sita-se a vontade que o Youtube sempre nos ajuda:

Ilha das Flores (Doc.1989)

Ganhou prêmios como : Melhor filme de curta-metragem (e mais 8 prêmios) no 17° Festival de Gramado, 1989.

Sempre digo que este documentário tem hora que dá até uma gastura um enjoo no estômago, de pensar o quanto somos “podres”!! Enfim, ao repassar este vídeo aos alunos, contemplei algumas partes, e percebi também a importância de o apresentar aqui no #VV. E de colocar o meu olhar sobre ele…

ilha_das_flores_01-2

 

O curta- metragem “Ilha das flores” é um documentário experimental dirigido por Jorge Furtado. O filme companha a trajetória de um simples tomate, desde a plantação até ser jogado fora, escancarando o processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho.  Produzido há 22 anos o curta ainda é amplamente discutido, principalmente nas escolas e universidades por sua temática realista que discute o individualismo, a poluição e a miséria humana .  Ilha das flores é um ácido retrato da mecânica sociedade de consumo. Segundo a crítica não deixa ninguém indiferente à sua projeção e costuma provocar fortes reações.

O documentário expressa bem a ideia de que somos iguais com o telencéfalo altamente desenvolvido e o  polegar opositor,  porém, uns com dinheiro e outros mendigando comida aos porcos. Nas questões ambientais, o julgamento das pessoas do que será lixo para alguns e comida para outros, a falta de higiene, a sobrevida humana, o descaso do poder público da época (o que não é tão antigo assim, tendo visto que lixões ainda é uma realidade nos dias de hoje).

Algo de se frisar neste documentário, são as frases de impacto como, “há poucas flores na ilha das flores” e “enquanto o porco, não tem nem mesmo um polegar, que dirá opositor!”.

Este documentário deveria ser visto por todos”

E você, já o conhecia? O que pensa dele? Qual sua opinião?

Faço aqui a minha parte, ao lembrar que ele existe e deve ser assistido e analisado…

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.