Pescadores, sociedade civil e universidades discutem monitoramento pesqueiro na Bacia do Rio Madeira

Uso e aplicações do aplicativo Ictio serão destaque durante evento

Imagem: Divulgação

A Ecoporé, em parceria com a WCS Brasil, Laboratório de Ictiologia e Pesca da Universidade Federal de Rondônia, promoverá o “Encontro de Pescadores da Bacia do Madeira – Ciência Cidadã para a Amazônia”, em Porto Velho, durante os dias 1 e 2 de junho, e reunirá 30 pescadores do Brasil, Bolívia e Peru, que atuam na Bacia do Rio Madeira, além de representantes da sociedade civil e universidades, para troca de experiências e reflexão sobre a primeira etapa do monitoramento pesqueiro através do aplicativo Ictio e a importância do Projeto Ciência Cidadã para a Amazônia. 

Durante o evento serão discutidas a experiência de monitoramento de pesca com o Ictio, a coleta e visualização de dados, as possibilidades de uso dos dados; além de futuras colaborações entre pescadores e entidades. O Ictio é uma ferramenta digital que registra observações de peixes capturados na Bacia Amazônica através da colaboração das populações locais, indígenas, pescadores individuais e organizados em associações, grupos de manejo, pescadores esportistas, cientistas e qualquer cidadão que deseje colaborar.

O Ictio foi lançado para a comunidade do Projeto Ciência Cidadã para Amazônia em julho de 2018. Até fevereiro de 2019, foram feitos 2.344 registros ao longo de 41 bacias hidrográficas. Vinte espécies de peixes migradores na Amazônia são o foco desta iniciativa. Estas espécies são especialmente importantes porque representam 80% das capturas comerciais, além de garantirem a segurança alimentar e também serem fonte de renda para pescadores ribeirinhos e urbanos.  Neste primeiro ciclo de registos de observações de pesca através do app, o Surubim (Pseudoplatystoma sp) foi a espécie mais registrada, seguida do Curimatã (Prochilodus nigricans) e logo depois pelo Pacu (Mylossoma sp).  

A plataforma online de Ictio também tem a capacidade de compilar registros de outros sistemas de monitoramento que utilizem outras ferramentas, como fichas e questionários para compilar dados de pesca. Com toda informação coletada, o projeto buscará aprofundar a compreensão sobre os padrões de migrações dos peixes mais importantes na Amazônia, com o objetivo de que o conhecimento gerado contribua para o manejo sustentável da pesca e a preservação dos ecossistemas aquáticos prioritários.

Desenvolvido pelo Cornell Lab of Ornithology em parceria com a WCS,  o app e plataforma Ictio contam com a colaboração de uma rede de mais de 30 organizações que fazem parte do Projeto Ciência Cidadã para a Amazônia. O projeto conta com o apoio da Fundação Gordon e Betty Moore.

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.