Turismo pode ser uma bomba relógio?

À medida que mais países e regiões desenvolvem a chamada indústria do turismo, mais impactos significativos ocorrem sobre os recursos naturais, padrões de consumo, poluição e sistemas sociais.
A necessidade de planejamento, gestão sustentável e responsável é fundamental para a indústria do turismo sobreviver como um todo.
Um dos grandes desafios é que esta indústria movimenta cerca de 10% do PIB mundial, sendo responsável direta e indiretamente por cerca de 9,5% do emprego no mundo, o que é muita coisa.
E é aí que mora o perigo.
Não se pode simplesmente desarticular um montante de mão de obra desta magnitude, seria o caus.
Então a saída é promover o chamado “turismo sustentável”, que dentre outras ações depende muito da consciência do próprio turista.

Dados de 2011 acusam que 980 milhões de pessoas viajaram internacionalmente (um aumento de 4% em relação a 2010) e deve chegar a 1,5 bilhões de pessoas até 2020.
Além disso, pelo menos 25 milhões de pessoas oriundas de 52 países são deslocadas pela violência, perseguição ou desastres como terremotos, o que afeta as receitas do turismo em todos os países.
Para termos uma ideia, uma família em um país subdesenvolvido usa 500 litros de água por mês. Uma mesma família canadense usa em média 326 litros de água por dia. Agora já um hotel de luxo pode chegar a gastar 1.800 litros de água por pessoa em um só dia.
Nossa!

Então, já percebemos que é mais do que urgente pensar, repensar e por em prática soluções para este sério problema.
Como o intuito deste artigo é procurar esclarecer o turista (claro que existem outras atitudes a serem tomadas, principalmente pelas empresas que lucram muito com este segmento), separei algumas dicas que você pessoa consciente já pode começar a fazer uso imediatamente.

O QUE VOCÊ PODE FAZER (NÃO SÓ) QUANDO ESTIVER EM VIAGEM?

  • Desligue as luzes quando sair do quarto de hotel;
  • Desligue o computador quando não estiver usando;
  • Desligue da tomada todos os aparelho não utilizados, pois mesmo desligados consomem, pouco, mas consomem energia;
  • Tome banhos mais rápidos com água menos quente;
  • Em vez de usar o secador de roupas, procure deixá-las secar naturalmente;
  • Fique atento com a reciclagem de papel, plástico e vidro;
  • Sempre que possível compre alimentos orgânicos;
  • Use sacolas reutilizáveis ​​quando fizer compras;
  • Procure comprar produtos que estejam minimamente embalados. Quanto mais requintada e espalhafatosa for a embalagem, mais recursos naturais ela consumiu para ser produzida;
  • Compre produtos que estão em temporada de safra, pois muita energia é usada para produção fora de temporada;
  • Use transporte público sempre que possível, vá de bicicleta ou simplesmente caminhe;
  • Planeje sua viagem com antecedência evitando gastos inesperados e consumos desnecessários;

Se não forem tomadas providencias, sim, o turismo pode se tornar uma bomba relógio.
Bem pessoal, são apenas algumas dicas. Se alguém quiser acrescentar, por favor, colabore.
Grande abraço!

Por Tomé Ferreira

Fonte:
sustainabletourism.net

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Em 1992 com a chegada do microcomputador fiz diversos cursos na área de design entre eles Photoshop (Senai), Indesign e QuarkXpress (Casa de Editoração), Corel Draw e FreeHand (Market) entre outros, aprendendo muito como autodidata também. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Jornalista registrado no Ministério do Trabalho e Emprego sob o número: 0016467MG. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.