O reflorestamento em áreas erodidas

Saudações caros leitores e visitantes deste humilde Blog*. É com grande satisfação que agradeço pelas mais de 1000 visitas, recomendações enviadas ao e-mail e também pelos comentários. Muito obrigada.

______________

A erosão é um processo que faz com que as partículas do solo sejam desprendidas e transportadas pela água, vento ou pelas atividades do homem. Segundo Fornasari Filho (1992), o processo erosivo (pela água e pelo vento) tende a intensificarem-se nas superfícies desprotegidas das picadas, pontos de escavações de poços e trincheiras, sondagens e levantamentos geofísicos; todavia, a alteração é localizada em geral, pouco expressiva.

Muitas pessoas ainda acreditam que este é um evento “impossível” de resolver, o que é errado. Têm-se muitos métodos que previnem e controlam o que é o caso do reflorestamento onde se pode minimizar com grande valia os impactos ambientais que a erosão provoca no solo.

Um bom exemplo seria o reflorestamento em áreas de mineração a céu aberto, onde a exploração da jazida em cavas de bancadas de 10 metros de altura pode atingir até 15 metros de altura.

Isto provoca a existência de bermas e taludes, que são como “escadas”. Nestes taludes que é a parte inclinada desta escadaria são construídas as chamadas “cascatas” de prevenção à erosão, podendo ser do próprio rejeito (material rochoso que não é utilizado na exploração e com baixo teor de minério). Podendo ser também de concreto em forma de “escada”, isto faz com que a água das chuvas diminua sua velocidade quando escoa. Mas isto não é totalmente eficaz, pois no entorno das escadarias ainda há solo e este ainda é escoado.

Para minimizar a erosão ao lado das escadarias é utilizado o método de reflorestamento que é feito o recobrimento dos taludes, onde são recobertos por material terroso e por uma camada de solo fértil. Que recebe tratamento quanto à correção da acidez e adubação para facilitar o desenvolvimento da vegetação que será plantada através de mudas e coquetéis de sementes.

O plantio e adubação são realizados no período que antecede as chuvas, abrindo sulcos inclinados com aproximadamente 10 cm de profundidade e distância entre si de aproximadamente 30 cm, obedecendo ao limite de 2,5m da linha base do pé do talude.

O coquetel de sementes (típicas do local) é lançado de forma homogênea e bem centralizado nos sulcos inclinados. Os taludes onde serão plantadas mudas são áreas previamente definidas, o esterco deve ser incorporado ao solo e sua aplicação junto com o gesso (cal – que corrige a acidez do solo). As mudas deverão estar com um tamanho mínimo de 60 cm.

Isto garante a proteção das pilhas da ação erosiva da água precipitada, com a implantação do sistema de drenagem para o seu escoamento. Evitando assim a acumulação da água nas bernas, esta cai nas lagoas de decantação (recomendado, partindo do pré-suposto que este exemplo como citado, de céu aberto vá ter uma drenagem vindo de dentro da cava, pois com a exploração atinge o lençol freático).

Este foi um breve comentário sobre a erosão provocada pela criação de taludes em mineradoras ou até mesmo em outros locais que têm a mesma característica.


Fonte: Trabalho de conclusão de estágio por Daiane Santana; Controle de recuperação ambiental na Mina de cana Brava, Goiás por Nilton Fornasari Filho (1992); Dicionário de meio ambiente, disponibilizado no site da Faber-Castell (acesso 15/05/2008).

______________

Post indicado por Silvana Faria.

______________

Sugestões de post: daianeea@gmail.com

Grata: Daiane Santana