A arte que nasce do ferro-velho

O artista francês Edouard Martinet que nasceu em Le Mans, França, em 1963 e se formou em arte na ESAG em 1988, em Paris. Atualmente, ele é escultor e professor de arte do L’Institut des Arts Appliques. Ele esculpe de forma minuciosa peixes, insetos e aves a partir de materiais coletados no ferro-velho e no mercado de pulgas – local onde vários vendedores comercializam bens antigos, usados e objetos artesanais.

sapo

grilo

Joaninha

Seu material de trabalho são peças de carro, de máquinas de escrever, de cozinha e plásticos que foram jogados no lixo, os quais, nas mãos dele, viram artigos de arte.

Mais infirmações aqui: Edouard Martinet

zangao

peixe

Fonte: Eco 4 Planet

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

4 comentários em “A arte que nasce do ferro-velho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.