As Dunas

Eu tive o prazer de conhecer as Dunas do Parque Estadual do Jalapão, com certeza uma visão  inesquecível, mas… surgiam aquelas dúvidas, como elas surgiram? Porque chegaram a tal aspecto? O que são na verdade as dunas? Somando todos estes questionamentos e também ao pedido da Clarissa que postou na comunidade do blog:

Acho que seria bacana falar de Dunas. É algo que aparecentemente não é vida, mas que faz parte do ecossitema. Intriga muita gente sua beleza, sendo apenas areia. E em alguns casos elas fazem cidade sumirem, como em Itaúnas. O que acha?

Então vamos lá!

Duna é uma montanha de areia criada a partir de processos eólicos (relacionados ao vento). Dunas descobertas (sem vejetação)  são sujeitas à movimentação e mudanças de tamanho, pela ação do vento. O vale entre as dunas é chamado slack, ou seja, dunas são montes de areia formadas pelo vento e pelo mar. Quando o vento sopra, leva a areia e com o tempo viram dunas. Dunas não precisam ser necessariamente grandes, muitas delas são bem pequenas.

A classificação das dunas, levam em consideração a sua dinâmica de formação, sendo reconhecidos dois tipos: as dunas estacionárias (quando a vegetação, principalmente, ou outro fator impede que o vento transfira as dunas de lugar) e as dunas migratórias (quando a ausência de uma barreira faz com que o vento “carregue” as dunas) . Algumas dunas acabam por se transformar em formações consolidadas, as chamadas dunas fósseis.

Segundo a legislação brasileira as dunas são consideradas áreas de preservação permanente (APP) e têm sua preservação garantida por lei pelo fato de constituírem um ecossistema com características próprias e bastante diferenciadas como fauna e flora adaptadas para sobreviver em regiões mais secas e quentes e, em alguns casos, de mudanças constantes.

Em locais onde a movimentação das dunas se dá de forma danosa – quando a movimentação natural é acelerada pela degradação da vegetação, ou quando de alguma forma a movimentação pode significar riscos ambientais e ou sociais, costumam ser feitos “quebra ventos” naturais através do plantio de espécies vegetais em locais estratégicos das dunas que, através das raízes e da ação de bloqueio dos ventos impedem que a areia seja levada de um lugar a outro.

 

Curiosidade

No Rio Grande do Sul encontramos um dos maiores sistemas contínuos de dunas costeiras em todo o mundo. Já a duna mais alta do mundo, com 2.708 metros acima do nível do mar, é a “Cerro Blanco” no Vale de Nazca, Peru.

Daiane Santana

Caso queira saber mais sobre as dunas, a Clarisse deixou uma dica, CLIQUE AQUI  e confira.

______________

  • Procuro parcerias, entre em contato!

Sugestões e dúvidas: daianeea@gmail.com

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

6 comentários em “As Dunas

  • 31 de março de 2009 em 7:05
    Permalink

    Que lindo post e deve ter sido lindo ver ao vivo tudo isso! um beijo, ótimo dia,chica

  • 31 de março de 2009 em 9:25
    Permalink

    Olá, Daiane!
    Ficou muito legal o post! Parabéns e obrigada! Espero que outras pessoas gostem também.
    Um abraço grande,
    Clarissa

  • 31 de março de 2009 em 16:05
    Permalink

    há.. com certeza Chica .. foi muito bom ter ido as dunas do jalapão… cena linda de e ver… na verdade .. apreciar rs 😀

  • 31 de março de 2009 em 18:24
    Permalink

    Bem, dunas de grande proporção só vi ao vivo em Florianópolis na praia da Joaquina já achei lindo!

  • 1 de abril de 2009 em 8:51
    Permalink

    Verdade Daniela…

    eu tambem fui a floripa na Joaquina.. e realmente as dunas de lá sáo lindas hehehe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.