Até parece que a quarentena ajudou o meio ambiente mesmo…

Eu poderia pontuar aqui várias matérias no qual mostram o quão a interação homem e meio ambiente acarretou mudanças, porém resolvi lembrar de duas. Na China, imagens da Nasa mostram queda da poluição em meio ao surto. A agência espacial identificou que o declínio nos níveis de poluição do ar coincidia com as restrições impostas às atividades de transporte e negócios, e com a quarentena imposta a milhões de pessoas.

Os mapas da Nasa mostram níveis decrescentes de dióxido de nitrogênio este ano. Isso ocorre em meio a um declínio recorde na atividade industrial da China, uma vez que as fábricas interrompem suas atividades numa tentativa de conter o coronavírus.

G1
Imagem: G1

Em outra, ressalta-se que pássaros cantam a plenos pulmões, javalis andam pela cidade e golfinhos estão de volta às costas. O confinamento deu aos animais via livre enquanto os humanos têm mais tempo para observar a natureza.

Foto: Reprodução / Pensar Contemporâneo

Mas até quanto tudo isto é bom? Estamos vivendo uma fase? Vamos mesmo começar um “novo normal”? Até que ponto o Homem está disposto a continuar propondo ações de reclusão enquanto pensa-se no meio? Há alguns dias escutei uma provocação no qual questionava-se o quanto o ser humano ainda há de se ressignificar tudo que está acontecendo.

No episódio do #PodcastVV 001, onde falamos sobre o coronavírus e o meio ambiente, questionamos toda a desenvoltura desta pandemia, o início partindo de um descontrole ambiental por parte de fiscalização e leis mal aplicadas em feiras públicas, indo em direção à um caos na saúde pública mundial e resultando em desequilíbrios econômicos em escala inimagináveis.

Somos fruto de um meio que precisa estar em consonância. O Brasil? Em meio a um dos processos de conflitos políticos ambientais que envergonha qualquer pessoa em sã consciência ou que tem um mínimo de resiliência e empatia a questões socioambientais. Povos rasgando em pedidos tão óbvios de atenção, que corroboram com a magnitude de uma gestão governamental enraizada na ignorância… Seria mesmo o mormento de comemorarmos pequenos avanços no meio ambiente em meio a uma pandemia?

Tudo isto… Enquanto passa-se a boiada…

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do Portal VivoVerde, nascida e residente de Minaçu/GO e há 12 anos escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultor, ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV | 063999990294

Um comentário em “Até parece que a quarentena ajudou o meio ambiente mesmo…

  • 12 de janeiro de 2022 em 20:26
    Permalink

    A Pandemia veio para, entre coisas, ensinar lições que muitas pessoas não conseguiram entender. Porque estavam correndo muito, fora de casa, era preciso valorizar o próprio lar e as pessoas que moravam sob o mesmo teto, que a gente quase não via, porque faltava tempo. Estávamos valorizando muito o supérfluo que se comprava de montão, nos Shoppings, esquecidos dos tesouros do próprio coração que a gente camuflava e não levava fé. E porque o predador chamado “ser humano” se afastou da natureza, ela reverdeceu e ressuscitou e os animais e aves que fugiam dele, reapareceram perambulando ou nadando no espaço tomado deles. Nada será como antes, para aqueles que aprenderam sua lição de cada dia, na solidão de si mesmo, viajando “para dentro” onde paisagens esquecidas precisavam ser visitadas, restauradas, reconstruídas. Nada será como antes, apenas para quem entendeu a mensagem da Pandemia. Para os demais continuará exatamente como era… ou pior.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.