Bunge recebe selo de signatária do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Cana-de-Açúcar e terceira usina do grupo é certificada pela Bonsucro

A Bunge Brasil acaba de receber mais dois reconhecimentos por sua atuação sustentável no setor sucroenergético. A Bonsucro, organização internacional que estabelece princípios e critérios socioambientais para aplicação nas regiões de cultivo da cana em todo o mundo, certificou mais uma das usinas do Grupo, a terceira em menos de um ano. Além disso, a empresa recebeu  no dia 14 de junho, o selo de “Empresa Compromissada”, como signatária do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Cana-de-Açúcar. A cerimônia de entrega do selo, que envolve 169 empresas do setor, foi realizada no Palácio do Planalto, em Brasília, na presença da Presidente da República, Dilma Roussef.

“Estes reconhecimentos atestam que estamos em conformidade com as melhores práticas de sustentabilidade e nos encorajam a continuar investindo em todas as nossas operações, nas oito usinas do Grupo, para entregar ao mercado global produtos com cada vez mais qualidade e de forma sustentável”, afirma Ricardo Santos, vice-presidente de Açúcar e Bioenergia da Bunge Brasil.

A mais nova usina certificada pela Bonsucro é a Itapagipe, em Itapagipe-MG. Em dezembro do ano passado, outras duas usinas do Grupo foram reconhecidas pelos exigentes critérios Bonsucro: Usina Moema e Usina Frutal, instaladas em Orindiúva-SP e Frutal-MG, respectivamente. Essa certificação abre a oportunidade de exportação, principalmente para o mercado europeu, onde são aceitos apenas biocombustíveis certificados. Os padrões da Bonsucro envolvem a cana e todos os seus derivados.

Para fazer parte do ainda restrito grupo de empresas certificadas, as usinas passaram por rigorosas avaliações realizadas com o acompanhamento de 69 indicadores. Os critérios Bonsucro exigem que as empresas-membro certificadas estejam de acordo com os seguintes princípios: cumprimento da lei do local onde a empresa/usina está instalada; respeito aos direitos humanos e trabalhistas; gestão sobre insumos, produção e processamento de modo a aumentar a sustentabilidade; gestão ativa da biodiversidade e serviços do ecossistema; melhoria contínua das áreas-chave do negócio. Neste contexto a Bunge, empresa controladora das usinas, foi submetida à avaliação corporativa e consulta pública para que a associação à Bonsucro fosse efetivamente aprovada.

Adicionalmente, para a certificação, há exigência do cumprimento de requisitos técnicos e administrativos também pelos fornecedores primários das usinas. Isso garante o rastreamento de toda a cadeia relacionada à produção sustentável de cana-de-açúcar e seus derivados, incluindo o plantio da cana, seu transporte até a usina e toda a operação utilizada para o processamento da planta.

Bunge realiza ações de melhorias no setor

 

A Bunge tornou-se signatária do Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Cana-de-Açúcar em 2009, mas, desde que passou a atuar diretamente nesse setor, em 2007, já vinha realizando um amplo e profundo processo de estudos e mudanças. “Nosso trabalho está focado na adequação das práticas socioambientais, trabalhistas e políticas de relacionamento com os públicos da usina ao padrão global da companhia”, afirma Adalgiso Telles, diretor de Assuntos Corporativos e Sustentabilidade da Bunge Brasil.

Essas mudanças realizadas pela Bunge no setor incluem a realização de workshops com especialistas da academia, ONGs, mercado e consultores de órgãos públicos. Outra ação de destaque foi a implantação, em 2010, do programa de Agricultura Sustentável, que inclui restrições contratuais aos fornecedores para o caso de não adequação ao modelo proposto.  Por três anos consecutivos esse trabalho da Bunge foi reconhecido como modelo pelo Guia Exame de Sustentabilidade, que classifica a empresa como uma das 20 companhias mais alinhadas à sustentabilidade no Brasil.

 

Compromisso Nacional dissemina boas práticas

 

Desenvolvido e lançado em 2009, o Compromisso Nacional para Aperfeiçoar as Condições de Trabalho na Cana-de-Açúcar é um acordo que envolve empresários do setor sucroenergético, trabalhadores e Governo Federal. O objetivo é identificar e reconhecer práticas trabalhistas, adotadas por empresas do setor, que vão além dos padrões determinados em lei, e torná-las obrigatórias para as empresas signatárias, contribuindo para o aperfeiçoamento contínuo do segmento.

O acordo também tem a missão de promover a reinserção ocupacional dos trabalhadores desempregados pelo avanço da mecanização da colheita. Iniciativas que fazem parte do Compromisso Nacional incluem a garantia de contratação direta pelas empresas do setor, eliminando a figura do atravessador, ou “gato”; transparência na aferição da produção; e a promoção da saúde e da segurança dos trabalhadores. Também está prevista a implantação pelo governo federal de políticas públicas para a educação, saúde e geração de emprego e renda.

A adesão das empresas ao Compromisso é voluntária. Após a adesão, elas são submetidas à verificação, in loco, do cumprimento das práticas estabelecidas. Essa auditoria é realizada por empresas independentes, acompanhadas das entidades representativas dos trabalhadores, e somente depois desse processo é que podem se tornar aptas a receber o selo “Empresa Compromissada”.

 

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.