[#CParty] O lixo

toporesiduos

É difícil, mas temos que admitir que o fim esteja próximo (domingo, 31 de janeiro), para ser mais exata daqui sete horas a Campus Party ficará apenas nas lembranças, imagens e documentos de várias pessoas além de um grande galpão vazio que guardará a energia alegre de cada um que passou por aqui. Além destas coisas “abstratas” que será inevitável, algo acompanhará alguns campuseiros, a atitude.

DSC01574

Atitude esta que leva esta garota que vos “fala” a apontar algumas questões. Aqui no Campus Party foram distribuídas “lixeiras” de coleta seletiva em vários locais, a atitude é boa, eu diria até que a “intenção” é ótima. Mas vamos às atitudes das pessoas que usarão e usaram este recurso. Logo que precisei utilizar dos coletores percebi algumas dificuldades, não para mim que já tenho bagagem em saber o que é deve-se fazer, mas para pessoas que talvez não teve instrução adequada para tal atitude, estas de colocar o lixo em lixeiras ou no caso separá-la nos coletores.

Via-se ,muitos resíduos em cima das mesas, até na nossa poderia ser visto isto, eu costumava “juntar” e depois colocar nos coletores, mas sempre aparecia algumas mulheres da limpeza para fazer a limpeza destas. Isto ajudava e muito. Mas o que quero lembrar nesta matéria, são as atitudes pós-campus party, aquelas que são percebidas nas cidades, parques estaduais, federais, no campo ou até mesmo dentro de casa, de jogar seu lixo em qualquer lugar. Aqui em Palmas/TO não adianta em NADA, procurar esta atitude de coleta seletiva, eu já trabalhei voluntariamente no estudo da reciclagem de latinhas e tive que abandonar o barco, pois minha cidade não tem galpões de reciclagem, tem os de separação e armazenamento, mas não para a reciclagem propriamente dita. Isto é bem complicado, pois o que se separa é levado para Goiânia/GO ou Brasília/DF, o que deixa o trabalho bem caro.

A Campus Party foi um evento LIMPO eu diria, talvez a atitude do local em organizar isto e a bagagem que São Paulo tem quanto ao ato de reciclar pode ter deixado algo de favorável em algumas pessoas que ali passaram. Particularmente eu não vi outras pessoas (e olha que eram 6000 campuseiros) se preocupando em colocar o lixo no lugar certo, mas sim ajudando as moças que recolhiam a deixarem suas mesas limpinhas, já é um avanço. Em um certo momento, abri um coletor de papel para colocar alguns guardanapos usados e ví muita latinha re refrigerante, isto já não é um avanço…

Mas enfim, o que atitude sustentável, você levou para casa? Não apenas na Campus Party, mas em outros eventos onde estas atitudes eram esfregadas na cara.

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do Portal VivoVerde, nascida e residente de Minaçu/GO e há 12 anos escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultor, ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV | 063999990294

10 comentários em “[#CParty] O lixo

  • Pingback: Eng. Daiane Santana

  • Pingback: Eng. Daiane Santana

  • Pingback: EcoZilla

  • Pingback: Campus Party News

  • Pingback: Campus Party News

  • 2 de fevereiro de 2010 em 11:17
    Permalink

    Pois é……não adianta ter as lixeiras ,bonitinhas ,separadas por cor……o bom hábito,que nós temos ,de colocar o lixo certo no local certo ,ainda não está bem desenvolvido nos outros.Nem com tts catástrofes o povo entende,coopera e respeita.Preservar então ??????.Outro dia fui a um churrasco e td mundo jogava td misturado.Questionei a dona da cas.Ela me respondeu:depois meu empregado separa.Pq não separar ANTES ?Pq fazer o certo é tão DIFÍCIL ?Meu marido diz que estou “eco chata “e etc……porém,vou continuar a luta que peguei para mim. Luta esta que vejo ,em prol de um mundo melhor.Estou sem tempo.Apesar de estar acompanhando td o seu trabalho,só pude fazer este pq coment.Mil bjcas.parabéns pelo seu trabalho!!!!

  • Pingback: Marcio Akio Saiki

  • Pingback: Eng. Daiane Santana

  • Pingback: Gabriel Dread

  • 9 de fevereiro de 2010 em 8:58
    Permalink

    Lamentavelmente isto é uma questão de cultura e, cabe ao governo, nos três níveis de administração, elaborar campanhas para incutir na mente das pessoas, desde crianças até idosos, a necessidade de promoverem a coleta seletiva do lixo bem como seu acondicionamento de forma a não emporcalhar a casa, as avenidas e a cidade como um todo. É simples, é uma questão de educação e direcionamento. Acontece que a Administração Pública não toma a iniciativa e deixa por conta de ONGs ou ambientalistas abnegados, não proporcionando a eles qualquer tipo de ajuda ou recursos. É uma pena pois com tão pouco se pode beneficiar a muitos e, pincipalmente o meio ambiente, possibilitando a que nossos filhos e, principalmente os netos, tenham uma qualidade de vida melhor. A natureza não perdoa e revida sua má utilização, através das catastrofes que estamos vivenciando atualmente, em todas as partes do mundo. Aqui no Brasil então, todo ano é a mesma coisa e, cada vez pior. Olha o Estado de São Paulo. Tão desenvolvido tecnicamente em todas as áreas mas. quando se refere ao lixo, é uma lástima e, isto ficou constatado nas enchentes que estão castigando a cidade. As inundações são provocadas pelo lixo que é disseminado pelas ruas, são levados pelas águas pluviais e entopem os bueiros, causando as inundações. Temos visto isto pela televisão e os culpados, via de regra, são os atingidos pelas enchentes, que não cuidam adequadamente do lixo. O seu trabalho é dignificante e meritório. Só espero que outros o acompanhem e, principalmente o Poder Público que tem a obrigação de proporcionar qualidade de vida à população mas, sabemos que a política, a incompetência e a corrupção, na maioria das vezes impedem gestões neste sentido. Vamos esperar que melhore. É ISSO AÍ.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.