É preciso se conectar com o planeta que nos nutre

Olaaaaaaaaaar, leitores!

Espero que esteja tudo bem com vocês! Hoje vou falar um pouco de uma experiência pessoal que mudou bastante meu ritmo de vida e, de quebra, ainda me gerou a identidade de “mulher aventureira”, rs!

Os que leram meu perfil já sabem que trabalho para o Poder Judiciário, mais especificamente analisando processos. Isso mesmo. Aquela demanda que você, por meio do seu advogado, levou para a apreciação de um juiz é analisada pelo próprio com a ajuda de sua equipe. Eu faço parte desse time de assessores. O exame das demandas exige horas a fio de leitura, pesquisa, concentração e escrita. Atividade essencialmente intelectual que, muitas vezes, traz consigo tensão e estresse (nem tudo são flores, né?).

Fonte: Instagram – natanags

Fora o trabalho, que utilizei como exemplo, existem outros “N’s” fatores que compõem nossa rotina e que alimentam esse quadro de estresse, tensão e correria, principalmente nos dias atuais em que o sistema exige mais e mais de nós (e oferece quase nada em troca -.-).

Diante disso e se você não for de ferro, chegará um momento em que não existirá mais diferença entre a sua pessoinha e um “morto que esqueceu de cair”. E isso aconteceu comigo (só não rolaram os lábios roxos porque eu amo um batom vermelho), fui vencida pelo cansaço, meu corpo e mente apresentaram sinais claros de que precisava desacelerar.

Foi durante esse ponto crítico que precisei traçar um plano estratégico e rever minhas atividades. No começo tinha uma idéia equivocada do que era preciso fazer para levar uma vida menos estressante. Na minha cabeça “desacelerar” equivalia a passar 20 dias num spá mega caro ou fazer uma viagem para o Butão e passar uns 30 dias meditando! Acreditava, ainda, que passear no shopping ou passar horas rolando a timeline das redes sociais era uma forma maravilhosa de “descansar”. 

Só que eu estava errada. Veja, bater perna no shopping, que é um local cheio de gente, letreiros brilhantes para todos os lados, vitrines que não acabam mais, não ajuda a descansar sua mente e corpo. O mesmo acontece quando você chega em casa às 18h, 19h (ou até mais tarde), senta no sofá com seu celular e corre para as redes sociais e ali permanece por horas e horas. Isso porque embora você não esteja lidando com as ocupações do dia a dia, sua cabeça continua acelerada, emitindo juízo de valor sobre tudo, gastando energia, trabalhando numa série de informações. Ali não existem circunstâncias que te permitam frear o ritmo. 

Inclusive foi depois de perceber que esse tipo de “programação” não estava funcionando para conter a tensão das responsabilidades cotidianas, que tive a brilhante idéia de trocar o shopping e o celular por um banho de cachoeira. Aí foi o “start” de tudo! 

Fonte: Instagram – natanags

Estreitar o contato com a natureza foi, sem dúvida, a melhor decisão que poderia ter tomado (e é infinitamente mais barato que passar 30 dias num spa)! Trocar o shopping por pés na água é revigorante. Deixar o celular de lado para escutar o vento movimentando as árvores é, profundamente, energizante. 

Fora que existem diversos estudos que comprovam o quanto entrar em contato com a essência do planeta que nos nutre influi positivamente em nossa saúde: reduz o estresse, ansiedade, ajuda o físico, melhora a saúde mental e outros inúmeros benefícios.

Aliás, só para vocês perceberem como a coisa é séria, no Japão existe o chamado “banho de floresta”, ocasião em que as pessoas passam um período na mata para desacelerar e recarregar as energias.

Hoje posso dizer que o sábado ou o domingo é reservado para esse “banho de floresta”. Moro em uma cidade privilegiada, cercada de um cerrado lindo e cachoeiras incontáveis que adoro explorar! É meu momento de relaxar verdadeiramente e descarregar toda a tensão acumulada ao longo da semana.

Por isso convido você, que está lendo esse texto e sobrecarregado (a), a tirar uma tarde do seu final de semana para relaxar de um modo diferente: te desafio a ir tomar um banho de rio ou cachoeira, reparar bem nos sons ao seu redor, no vento que toca seu rosto, nos raios de sol que alimentam sua vitamina D, rs! Nesse período desligue a internet do celular, se desconecte, respire, silencie a mente e sinta o bem-estar chegar! Depois me contem como foi a experiência!  

Natana Gonçalves Santos

Nascida em São José do Duro (Dianópolis/TO), mas palmense de coração, reside na capital mais jovem do país desde 2010. Sempre em movimento, acredita que a chave para se construir uma existência fluida e equilibrada está atrelada a um estilo de vida saudável e a uma convivência harmônica com o meio em que está inserida. Amante da natureza, aventureira, colecionadora de experiências e boas histórias, que ama se lançar em novos desafios. É formada em Direito pela Universidade Federal do Tocantins e atua profissionalmente como assessora jurídica junto ao Tribunal de Justiça do mesmo estado. Contato - Email: vidasaudavel@vivoverde.com.br | Twitter: natanags | Instagram: natanags

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.