Efeitos danosos da chuva ácida

Abordo este tema hoje por sentir que ele anda meio esquecido por todos e requer mais atenção do que se imagina.
A chuva ácida como resultado da poluição do ar, é qualquer forma de precipitação (chuva) com elevados níveis de ácidos nítricos e sulfúrico que também pode ocorrer em forma de neve, poeira seca ou neblina.
Vulcões em erupção e a decomposição da vegetação que libera na atmosfera alguns “químicos”, podem causar chuva ácida porém os maiores vilões são as atividades humanas.
Quando queimamos combustíveis fósseis, libera-se dióxido de enxofre (SO2) e óxidos de nitrogênio (NOx) na atmosfera. Estes gases químicos reagem com o oxigênio, água e outras substâncias de modo a formar soluções suaves de ácido sulfúrico e nítrico. Ventos espalham estas soluções que acabam formando nuvens de chuva contaminadas cheias de “veneno” viajando não só entre países mas também através dos continentes.

Alguns dos principais responsáveis pelas emissões danosas são usinas de carvão energético, fábricas diversas, automóveis, centrais elétricas, lixo e principalmente os grandes navios cargueiros ou não.
A fumaça que vem do fogo ou a fumaça que sai de um escapamento de carro não apenas contêm partículas de fuligem cinzentas visíveis a olho nu como contém grande quantidade de gases invisíveis que são ainda mais prejudiciais ao meio ambiente.
Quando a chuva ácida atinge a terra flui através da superfície como água de enxurrada deixando metais danosos no solo em área maior do que a da própria precipitação e quando chega aos rios e lagos, pode ser devastadora.

A chuva ácida foi desastrosa na década de 1970 quando houve uma espécie de “surto” pluvial, matando florestas em todo o mundo, peixes e lagos principalmente na Escandinávia. Muitos dos peixes de água doce na Grã-Bretanha ficaram ameaçados, seus ovos foram danificados e nasceram peixes deformados afetando definitivamente a cadeia alimentar. Os efeitos poderiam ter sido devastadores (Será que não foram?) se medidas emergenciais em conjunto não tivessem sido tomadas na época.

O Protocolo de Gotemburgo criado em 1999 definiu limites para as emissões entrando em vigor no ano de 2010. Infelizmente acordos internacionais não incluem frete por transporte marítimo, no entanto, em julho de 2011, a Comissão Europeia propôs acordos para este tipo de transporte.
Resumindo, isto é um problema ambiental grave e os governos de todos os países devem tomar medidas convincentes para reduzir a quantidade de enxofre e emissões de nitrogênio na atmosfera.
E nós, claro, fazermos a nossa parte.
Grande abraço!

Por Tomé Ferreira

Fontes e imagens:
www.acidrain.org
environment.nationalgeographic.com
greenbioresources.com
begreen.botw.org
gardenofeaden.blogspot.com.br
agritech.tnau.ac.in
www.unep.org

Tomé Ferreira

Graduando em TECNOLOGIA EM MULTIMÍDIA DIGITAL pela UNISUL Iniciei minha carreira como “Desenhista” de prancheta. Arte-finalizava tudo manualmente também fazendo trabalhos esporádicos de Jornalismo Social. Em 1992 com a chegada do microcomputador fiz diversos cursos na área de design entre eles Photoshop (Senai), Indesign e QuarkXpress (Casa de Editoração), Corel Draw e FreeHand (Market) entre outros, aprendendo muito como autodidata também. Fundei o Portal Duniverso em 2009 iniciando de vez minha saga pelo jornalismo o qual me apaixonei. Jornalista registrado no Ministério do Trabalho e Emprego sob o número: 0016467MG. Vida inteligente na WEB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.