Seca amazônica causou uma emissão de carbono maior que a dos EUA em 2010

A grande estiagem na floresta amazônica no ano passado podem ter causado a liberação de mais emissões do que os EUA são responsáveis por ano.

A floresta em geral e o consumo de carbono é um importante sumidouro de CO2, mas quando a vegetação seca e morre, todos o carbono que foi armazenado é liberado, e no caso das grandes secas que ocorreram no ano passado e em 2005, o impacto é muito grande.

De fato, um estudo publicado (06/02) na revista “Science” conclui que a Amazônia não absorveria o habitual 1,5 bilhões de toneladas de CO2 da atmosfera, tanto em 2010 e 2011 com vegetação morrendo resultaria em um lançamento de 5 bilhões de toneladas de CO2 , significando um total de 8.000 milhões de toneladas métricas de CO2 adicionado à atmosfera. Em 2009, os EUA foram responsáveis por 5,4 bilhões de toneladas de CO2 resultante da utilização de combustíveis fósseis.

amazon-drought

A parte mais assustadora disto é que a mudança climática está causando climas mais extremos como as secas, que por sua vez, estão causando gases de efeito estufa a mais para ser liberado para a atmosfera, criando um ciclo vicioso.

 

                                                                                                              via Reuters

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

Um comentário em “Seca amazônica causou uma emissão de carbono maior que a dos EUA em 2010

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.