Equipe da UnB pesquisa o cerrado no Parque do Lajeado

Com o intuito de fomentar a pesquisa nas Unidades de Conservação do Estado, o Instituto Natureza do Tocantins, por meio da coordenadoria de Unidades de Conservação e Áreas protegidas do órgão, está apoiando o projeto de pesquisa de Implantação e Monitoramento de Parcelas Permanentes no Bioma Cerrado / Cerradão, realizado pelo o curso de Engenharia Florestal da Universidade de Brasília, com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ). A primeira etapa da pesquisa começou no último domingo, 15, e segue até o final do mês de fevereiro.

A pesquisa tem como objetivo implantar e monitorar parcelas permanentes no bioma cerrado/cerradão visando o estudo da dinâmica, do crescimento e o estoque de carbono para subsidiar a tomada de decisões e auxiliar nas políticas publicas que visem a conservação e manutenção desse bioma, assim como a elaboração de Planos de Recuperação de Áreas Degradadas.

Os critérios para a escolha do Estado para realização da pesquisa se deram por meio de dados dos mapas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mostram a existência de fragmentos do Cerradão, fitofisionomia essa encontrada dentro do bioma Cerrado; e do Parque, pelo fato do bioma ser conservado e preservado, o que vai ajudar no monitoramento da pesquisa.

De acordo com o professor da Universidade, Eder Miguel, essa é uma vegetação passível de desmatamento devido suas principais características, por ter um maior porte arbóreo, além de se encontrarem em terrenos planos, facilitando o desmatamento para implantação de agricultura e pecuária.

A pesquisa consiste em analisar o porte arbóreo da vegetação, que está sendo dividido em parcelas de 400 metros quadrados cada, dentro da Unidade de Conservação, onde serão identificadas nas árvores as medidas do Diâmetro à Altura do Peito (DAP), altura total de cada espécime, nome científico, tipo de solo, além de inserir uma plaqueta de identificação em cada árvore. Ainda durante os trabalhos é recolhida uma amostra de material botânico de cada espécie identificada, que será depositada no Herbário da Universidade.

Sobre a pesquisa o coordenador do Naturatins, Volnei Martinovski, destacou que o órgão ambiental está apoiando as pesquisas que serão importantes para a conservação da biodiversidade das Unidades como também para o Estado. “Apoiamos desde que essas pesquisas sejam de interesse público e principalmente de interesse da preservação do meio ambiente”, enfatizou.

Após o trabalho de identificação, começa a segunda etapa da pesquisa que está prevista para o mês de junho. Nessa etapa os pesquisadores se reunirão com a equipe do setor de Licenciamento Ambiental do órgão, visando identificar, nos processos, as áreas com solicitação de desmatamento.

A finalidade é executar a cubagem rigorosa que consiste na medição ao longo dos troncos das árvores que serão derrubadas após a autorização de desmatamento. Em seguida essas mesmas árvores serão pesadas, separando tronco, galhos e folhas, identificando assim a quantidade de carbono liberada pela vegetação.

“Quantificar o carbono do Cerradão é importante para ajudar na preservação dessa vegetação, como também na recuperação de áreas degradadas servindo como políticas públicas, haja vista que essa vegetação sofre pressões antrópicas e estão cada vez mais difíceis de serem encontradas”, disse o professor.

O projeto

O projeto foi idealizado pela professora e pesquisadora do curso de Engenharia Florestal da UnB, Alba Valeria Rezende, e faz parte da rede de parcelas permanentes do bioma Cerrado/Pantanal. Os resultados da pesquisa do projeto auxiliarão na realização do inventário Florestal Nacional, que teve início no Distrito Federal e se estenderá aos demais Estados brasileiros.

Naturatins

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.