O cerrado guerreiro, forte e implacável à ação avassaladora do homem

Nasci em Goiás e moro no Tocantins a quase 10 anos, já se vão 27 anos de residência no cerrado brasileiro. A imagem mais comum de vegetação em minha vida são as árvores retorcidas, geralmente com as folhagens muito sujas da poeira, vegetação bem verde em épocas de chuva e também um cerrado bem castigado na época da seca, mas ainda com uma vista linda. Claro que me refiro aqueles locais onde as queimadas não atuaram a pouco tempo.

Resolvi que vou escrever periodicamente aqui no blog sobre este bioma que tanto me fascina… O cerrado! Ao fazer uma viagem de vistoria recentemente, percebi o quanto o cerrado tem de suas peculiaridades e também é um guerreiro, forte e implacável à ação avassaladora do homem.

O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro, pegando 8 Estados e o Distrito Federal (MG, GO, TO, BA, MA, MT, MS, PI e DF).

Como disse, o cerrado é forte e uma de suas características que mais me encanta é a ótima retenção de água que tem.

Grande parte das espécies vegetais do cerrado possuem raízes pivotantes profundas, permitindo que frutifiquem e se reproduzam mesmo durante a seca. Além disso, sabe-se hoje que grande variedade da vegetação do cerrado possui xilopódios – órgãos lenhosos subterrâneos que protegem as plantas contra o fogo – cuja descoberta levou alguns cientistas a concluir que a vegetação do cerrado seria uma vegetação “clímax do fogo”.

No final dos anos 50, uma nova hipótese, a do oligotrofismo distrófico, associa a baixa fertilidade dos solos e o excesso de alumínio às suas características de nanismo e tortuosidade. Mas mesmo considerando que o alumínio aumenta a deficiência nutricional dos solos, hipóteses do oligotrofismo distrófico nunca foram testadas experimentalmente no país.

Hoje, aceita-se a combinação da estacionalidade climática, da deficiência nutricional dos solos e a ocorrência do fogo como os principais responsáveis pelas características da vegetação do cerrado. Sua variação espácio/temporal seria então a principal responsável pela diferenciação de suas paisagens.

Ainda hoje é o que mais se vê no cerrado são as queimadas, em várias viagens que vou é inevitável nesta época não se deparar com este ato (chamo de ato de vandalismo) pelas estradas. E a fiscalização e monitoramento no Estado ainda não é o suficiente para conseguir controlar, mesmo sendo feito trabalhos de educação ambiental ainda é muito comum entre os produtores, até mesmos os grandes onde pensa-se que há mais instruções ou facilidade para chegar até as informações de âmbito ambiental.

O que vocês querem saber sobre o cerrado? No próximo quero falar sobre os biomas e ecossistemas que temos e “corredores ecológicos”.  Aguarde!

~~~~

[UPDATE]

Hoje é o Dia da Proteção às Florestas e fiz esta matéria sem saber (rs), vamos lá… o Cerrado (na zona de transição com a floresta amazônica) é um dos mais castigados e merece ser lembrado e preservado! Segue link das matérias que estão fazendo sobre este dia.

“Embora pertença formalmente à região Norte, o estado do Tocantins encontra-se na zona de transição geográfica entre o cerrado e a floresta amazônica. Essa característica fica evidente na fauna e flora locais, onde se misturam animais e plantas das duas regiões.” Via Brasil República

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

3 comentários em “O cerrado guerreiro, forte e implacável à ação avassaladora do homem

  • 18 de julho de 2012 em 22:33
    Permalink

    O Cerrado sempre me fascinou também. Moro numa região de transição dele com a Mata Atlântica, mas percebo bem sua vegetação, principalmente na época da seca. E é evidente o quanto ele está degradado por causa da expansão agropecuária. Uma coisa que acho interessante no Cerrado são as relações existentes entre seres vivos e o meio físico, principalmente o fogo. Um ambiente seco e que guarda uma imensa diversidade. Gostaria de saber mais sobre isso. Abraços.

  • 6 de fevereiro de 2017 em 15:35
    Permalink

    Lamentável, mas divulgações e matérias como esta,são muito importes. Parabéns pelo Posts!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.