O Fantástico mundo dos bonsai

Exposição de Bonsai é destaque no Festival Matsuri 2012 ( Feira da Cultura Japonesa) em Palmas/TO, que já é tradição na capital pelo sexto ano.

A cultura oriental sempre me chamou a atenção por transmitir calma, paz, serenidade, características absolutamente opostas do que vivenciamos na correria do nosso dia-a-dia. Seja na prática de artes marciais como tai chi chuan que teve sua origem na china e hoje é praticada em boa parte do mundo, seja nas técnicas milenares de meditação, ou no meu caso no cultivo de bonsai.

 

Os bonsai, (o plural de bonsai é bonsai mesmo), por motivos diversos, atraem olhares curiosos e interessados de quase todos os brasileiros, não só pela beleza que as árvores apresentam, mas pela curiosidade que gira em torno de “como fazer um bonsai?” ou “como cuidar de um bonsai?”.

Infelizmente no Brasil essa arte ainda é pouco conhecida, apesar de existirem bonsaístas com duas ou três décadas de dedicação à arte, se tratam de um grupo ainda muito pequeno.

 

Pra ajudar o entendimento desse curioso mundo nada melhor que conhecer um pouco seu histórico:

Para tradução da palavra bonsai temos, “bon” que significa bandeja, e “sai” planta, ou seja “planta na bandeia”. Trata-se de uma miniatura de árvore, arbusto, trepadeira lenhosa que, cultivada em vaso, expressa a beleza e o volume da planta em seu porte original na natureza.

A diferença entre o bonsai e outras plantas de vaso é que, enquanto essas são espécies cujas flores e folhas são o motivo de apreciação, no bonsai a beleza está na perfeita miniaturização, na harmonia e beleza da planta com o recipiente em que se encontra.

 

Diferente do que a maior parte das pessoas pensa a arte bonsai teve início na China por volta de 200 anos a.C., e foi levada ao Japão onde ficou conhecida mundialmente por monges por volta do século XII que cultivavam seus árvores como símbolo de longevidade.

 

O bonsai passou então a ser popular entre a nobreza nas grandes cidades, que carentes do contato com a natureza viam na arte uma saída para esse déficit. Assim, logo tornou-se um hobby que se espalhou por diversos países deixando de ser uma arte exclusivamente “real” se tornando “popular”.

 

No Brasil, não é possível saber ao certo a chegada da arte, mas de acordo com dados históricos deu-se no início do século XX, que com o passar do tempo foi adaptada ao clima e espécies brasileiras. Hoje, grupos de bonsaístas dedicam anos para dar a forma envelhecida às suas plantas, inclusive muitas nativas de cada região.

 

O Festival Matsuri 2012 que ocorreu em Palmas (12-05-2012) foi uma grande oportunidade para mostrar aos admiradores da cultura nipo-brasileira um pouco das nossas plantas e quem sabe despertar interesse de mais pessoas para essa fantástica arte.

 

Cada bonsai tem sua história de cultivo, sua dificuldade, suas particularidades, mas o mais interessante é que cada expectador visualiza na árvore uma história diferente, seja ela se remetendo aos contos de fada e mundos imaginários, aos cenários de filmes, às lembranças de infância, à flora de cada região ou paisagem que um dia já foi vista e guardada na memória.

Segue as imagens da exposição, que ocorreu no último sábado no Espaço Cultural em Palmas/TO:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.