Oficinas de Ecoturismo preparam Parque Cantão para abertura à visitação

Preparar a comunidade do entorno e técnicos do Parque Estadual do Cantão para o uso público da Unidade de Conservação para junho de 2013. Este é o foco principal das Oficinas (aberta) de Ecoturismo no Parque Estadual do Cantão, e Técnica do Prócantão – Projeto TFCA/Funbio (Fundo Brasileiro para a Biodiversidade), que acontecem a partir desta quinta-feira, 29 e seguem até o dia 1º de julho, na sede do Parque, em Caseara.

Em entrevista coletiva concedida na tarde desta quarta-feira, 27, o vice-presidente do Naturatins, Rômulo Mascarenhas, em companhia dos palestrantes, falou da importância desse evento de grande porte realizado no PEC, e o interesse do órgão em abrir a unidade para visitação. “Além de dar condições para abertura ao ecoturismo, é uma oportunidade ímpar para o desenvolvimento de pesquisas”.

 

Dentre os especialistas, a palestrante chairman do Comitê de Sobrevivência das Espécies da União Mundial de Conservação (IUCN), Nicole Duplaix, levará os conhecimentos de 30 anos de trabalho para a conservação da Ariranha, espécie ameaçada que habita na UC. Segundo a especialista, essa espécie ocorre apenas na América do Sul, sendo que já deixou de existir na Argentina, Chile e Uruguai. “O Brasil é o país que se sobressai em relação aos outros na conservação das ariranhas”, enfatizou.

A intenção dos conhecimentos sobre essa espécie é propor o uso público sem impactar o habitat deles e também das demais espécies. Para isso, a proposta da Oficina Técnica será fazer um microzoneamento das trilhas e lagos da sede e Zona de Uso Intensivo, e definir as regras e procedimentos específicos para seu uso.

O responsável pela pesquisas e monitoramento de impacto ambiental do ecoturismo em Puerto Maldonado e na região de Manu, no Peru, Rob Williams, também leva suas experiências para o processo de abertura do Parque. “É importante ressaltar que neste processo de visitação, todos devem estar satisfeitos. O sucesso vai depender se a atividade for um bom negócio para todos, seja para o turista, a população local, os guias ambientais, e o cuidado com a biodiversidade”.

As oficinas serão promovidas pelo Naturatins em parceria com o Instituto Araguaia, que tem à frente a ecóloga do Instituto Araguaia, Silvana Campello, e a ONG Onça D’Água.

 

Oficina aberta

A Oficina Aberta de Ecoturismo no Parque Estadual do Cantão tem o objetivo de promover uma oficina de planejamento de ecoturismo na região. Será uma oportunidade para a disseminação de conhecimento aos membros da comunidade, técnicos e alunos de turismo e de gestão ambiental, trazendo-os ao processo de tomada de decisão, e garantindo, assim, o caráter participativo necessário ao bom desempenho do projeto.

Para o primeiro encontro participarão os agentes de viagem de ecoturismo do Tocantins, condutores ambientais treinados pelo Naturatins, lideranças comunitárias dos municípios do entorno do PEC, e representantes dos setores hoteleiros e de restaurantes de Caseara, da Associação de Barqueiros e da Colônia de Pescadores de Caseara; do Conselho do PEC, da Agencia de Turismo do TO – ADTUR; e professores da UFT – Universidade Federal do Tocantins, ULBRA – Universidade Luterana do Brasil, e FAPAF – Faculdade Antônio Propício Aguiar Franco, de Pium, além e ouvintes convidados.

 

Oficina Técnica

A Oficina Técnica do PróCantão é a primeira de uma série de três. A primeira terá como foco efetuar o microzoneamento das trilhas e lagos da sede e Zona de Uso Intensivo, e definir as regras e procedimentos específicos para seu uso; a segunda, estabelecer padrões para monitorar o impacto da visitação, com base na condição ecológica da área sob proteção intensiva ao redor da base do Instituto Araguaia; e a visará definir indicadores e procedimentos para monitorar o impacto da visitação e o nível de satisfação dos visitantes.

Participarão também dos eventos especialistas como Rodrigo Ozório, técnico do Grupo de Turismo de Base Comunitária do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, no Amazonas; George Georgiadis, do Instituto Araguaia de Proteção Ambiental; Angélica Beatriz Correa Gonçalves, Associação Onça-D´Água de Apoio à Gestão e ao Manejo das Unidades de Conservação do Estado do Tocantins; Fátima Gomes, do Naturatins, entre outros.

 Texto: Edvânia Peregrini – Naturatins/ASCOM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.