Papel + Tinta Especial = Bateria

Por FiliPêra

bateria-papel-grande

A ironia é mesmo uma parada muito engraçada. Os computadores, notebooks e e-readers – fora a internet como um todo – são vistos pelos saudosistas como espécies de paper killers, já que podem fazer tarefas que antes relegadas principalmente para os papéis: armazenar coisas. Agora cientistas da Universidade de Stanford simplesmente inverteram as coisas, e deram ao papel uma função que antes eles nem sonhavam em ter: a de bateria! A idéia tem finalidade dupla: tornar as baterias mais limpas, sem componentes pesados como o lítio, altamente agressivos a natureza, ao mesmo tempo em que diminui a produção de papel para o que antes era (e ainda é) a função dele, que é ser o recheio de livros e cadernos.

Para conseguir transformar o papel num bom condutor de eletricidade, os cientistas cobriram uma folha com uma tinta especial feita com nanotubos de carbono e fios de prata em escala reduzida. Simples assim, uma folha pintada. Tal mistura torna justamente o papel o condutor ideal para esse tipo de processo, pois absorve facilmente a tinta. A praticidade da descoberta é importante, pois os usos para essa bateria são inúmeros, podendo ir desde notebooks, à carros, passando pelos celulares.

“O melhor deste processo é que ele é muito simples, de baixo custo e muito fácil de fazer, e pode mudar o modo com que as pessoas utilizam baterias”, afirma Yu Cui, um dos responsáveis pela criação da bateria. Com o desenvolvimento de pesquisas, tais baterias poderiam se tornar ainda menores e dezenas de vezes mais duradouras que as de íons de lítio, que hoje são o padrão do mercado. E o melhor: elas são muito baratas, e exigem descobertas científicas praticamente já feitas, sendo necessário apenas um padrão para se inicializar o processo de comercializá-las, o que as torna prontas para equipar notebooks e celulares em poucos anos, ainda segundo Yu.

No vídeo acima (em inglês), Cui demonstra como é o processo para fazê-la: basta pintar um papel com a tinta especial, e depois colocar a folha no forno, para que a água evapore e aumente as propriedades condutoras da superfície. Sim, em breve, se as empresas fabricantes de baterias deixarem, estaremos dando adeus às baterias gigantes que algumas vezes são maiores que os notebooks e não duram muita coisa!

[Via HypeScience]

____________________________________________________

O Filipêra é um dos nerds integrandes do Blog Nerds Somos Nozes, que para mim, é o melhor blog do gênero. E ele também é meu amigo pro-blogger do ♥. Amo muito!

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

2 comentários em “Papel + Tinta Especial = Bateria

  • Pingback:EcoZilla

  • 16 de dezembro de 2009 em 23:38
    Permalink

    bem legal a ideia, uma vez postei aqui no blog sobre as bicicletas movidas a bateria e o grande problema era justamente o peso das baterias de lítio e claro sua contaminação no solo caso não forem descartadas corretamente… este “papel” aí poderia salvar muitas coisas, até melhorar a bicicleta “elétrica” .. que eu tenho tanta vontade de ter uma.. hehehhe

    =]

    Obrigada coração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.