Paulistanos estão produzindo mais lixo

Capa Post

Segundo o  jornal SPTV (telejornal regional da manhã dos paulistas), nós estamos produzindo mais lixo.  A informação é do relatório da Abrelpe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública) publicado no último dia 8 de julho. De 2010 para 2011, cada pessoa gerou 50 gramas a mais de lixo por dia.

O jornal Folha de São Paulo noticiou em seu portal online, que os paulistanos mais ricos da classe A produzem 5 vezes mais lixo que os mais pobres da classe da C, foi o que afirmou o repórter da Folha, Fabio Schivartche.

A prefeitura de São Paulo tem um programa de coleta seletiva, que você pode ver aqui. Ainda assim, pode ser requerido o Serviço de Atendimento ao Município – Limpeza Pública, com solicitações para os serviços de limpeza e varrição, e também por telefone no número 0800-7777156 que atende das 8h às 18h. Além de vários outros serviços vinculados ao tema.

Produtos que podem ser reciclados:

  • Lixo orgânico – restos de alimentos, frutas, legumes, folhas, grama, gravetos, etc;
  • Papéis – papéis de escrever, papéis de impressão, papéis de embalagem, papéis para fins sanitários, cartões e cartolinas, papéis especiais (kraft, heliográfico, filtrante, de desenho);
  • Plásticas – embalagens de xampus, detergentes, refrigerantes e outros produtos domésticos, tampas plásticas de recipientes de outros materiais, embalagens de plástico de ovos, frutas e legumes, utensílios plásticos usados (canetas esferográficas, escovas de dente, baldes, artigos de cozinha, etc);
  • Vidros – todos os vidros (com exceção dos descritos nos produtos não recicláveis);
  • Metais – folha de flandres (aço revestido com estanho como latas de óleo, sardinha, creme de leite, etc), alumínio (latas de refrigerantes, cerveja, chás);
  • Lâmpadas de mercúrio – lâmpadas de vapor de mercúrio, de vapor de sódio, de luz mista e as lâmpadas fluorescentes;
  • Pilhas e baterias;
  • Entulho;
  • Pneus.

Produtos que não podem ser reciclados:

  • Papéis – papel-celofane, papel vegetal, papel plastificado, laminados (reciclagem difícil), encerados ou impregnados com substâncias impermeáveis, carbono, papel sanitário usado, papéis sujos, engordurados ou contaminados com alguma substância nociva à saúde, papéis revestidos com algum tipo de parafina ou silicone, fotografias, fitas adesivas e etiquetas adesivas;
  • Plásticos – plásticos termos fixos (usados na indústria eletroeletrônica e na produção de alguns computadores, telefones e eletrodomésticos), plásticos tipo celofane, embalagens plásticas metalizadas (tipo salgadinhos), isopor;
  • Vidros – espelhos, vidros de janelas, vidros de automóveis, lâmpadas, tubos de televisão e válvulas, ampolas de medicamentos, cristal, vidros temperados planos ou de utensílios domésticos.

Link interessante:

Para onde vai o lixo? no Planeta Sustentável

“Saiba o que acontece com o lixo produzido em São Paulo, que não possui mais aterro próprio”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.