Soluções sustentáveis que está mudando a rotina dos empreendimentos

E tem gente que ainda acha que não dá para aplicar o termo “sustentabilidade” em todos os lugares… Nesta madrugada tive a oportunidade e sorte de assistir um episódio do programa “Cidades e Soluções” no canal Globo News, gosto muito do que o programa oferece, uma vez falaram sobre a madeira plástica, me enrolei e nunca escrevi… Uma hora escrevo, enquanto isto, clique aqui e saiba mais.

Nesta edição o Rio Grande do Norte dá o exemplo, pense bem, conceitos de soluções  sustentáveis para salão de beleza e consultórios dentários, confesso que mesmo eu que sou Engenheira Ambiental, precisaria de um estudo bem complexo de impactos ambientais para conhecer todos os detalhes que empresas destas áreas podem impactar o ambiente e a forma que foram utilizadas nestes empreendimentos e apresentadas no programa me deixou super animada.

No salão de beleza a quantidade, a qualidade, os vários tipos de contaminantes, o uso da água e energia, tudo isto foi observado por Fabiana Gondim que é a proprietária/empresária e idealizadora da patente. O salão teve a preocupação de utilizar a coleta seletiva, aquecimento solar, sensores de luz para economia, bacias sanitárias que são utilizadas com válvula, que ajuda na quantidade de água que é utilizada na descarga. O empreendimento foi comparado com uma “oficina mecânica”, pois nos usos diversos do salão tem-se a utilização de amônia e graxas.

O Spray secativo pode ser perigoso quando inalado diariamente, com isto foi abolido pelo salão.

O monitoramento “patenteado pela proprietária” é chamado de “Hair size”, onde observa-se por meio de equipamentos (réguas) o tamanho e volume do cabelo, fazendo com que seja utilizado apenas a quantidade exata para cada cabelo, ajudando para que não haja desperdício de produto, com a ajuda de uma tabela (tamanho x volume) separado para cada atividade do salão. Isto eu achei muito interessante, para eu que tenho o cabelo curtíssimo… Já observei que poderia ser melhor reaproveitado a quantidade.

Tudo que é utilizado no salão é descartado em lixeiras de coleta seletiva e encaminhadas para a reciclagem por um caminhão, em parceria com associações de catadores.

Os resíduos produzidos por um salão em 1 mês empilhados, teriam a altura de 3o estátuas do Cristo Redentor ou 3 quilômetros e 300 metros de altura. Utilizando as técnicas corretas os resíduos são eliminados em 2/3. Ficando com a altura de “apenas” 10 estátuas do grande Cristo Redentor.

Já nos consultórios odontológicos são poluentes provenientes de resíduos gerados durante a restauração dentária. Sabe aquelas “massinhas/obturação” prateadas que algumas (digamos que muitas) pessoas tem nos dentes… Aquele ali é o amálgama!

Amálgama é toda liga metálica em que um dos metais envolvidos está em estado líquido, sendo geralmente o mercúrio. No caso da amálgama de prata utilizada pelo cirurgião-dentista (médico-dentista em Portugal), trata-se de uma liga que contém prata, mercúrio e estanho, podendo haver também o zinco e o cobre. Ela visa restaurar a cavidade causada pela doença cárie e pela manobra operatória do dentista ao remover tecido contaminado.

Por ser mais barato ele pode também ser a melhor opção em alguns casos. O grande risco deste resíduo no meio é o de que ele seja incinerado e libere vapor de mercúrio na atmosfera.

A ingestão de água ou alimentos com mercúrios podem causar doenças como anemia, câncer e até mutações genéticas, além de prejudicar rins, fígado e pulmões.

A cooperativa em Campinas/SP coleta os restos de amálgama para a destinação correta. Em Paulínia/SP, a empresa Apliquim Brasil Recicle faz a descontaminação do material e passa por um processo de 36 horas de aquecimentos com temperatura acima de 500 graus por meio de um desmercurizador. O que sobra no forno é a prata que tem alto valor de mercado.

Além da amálgama a empresa também trabalha com a reciclagem de lâmpadas fluorescentes, sendo recicladas 8 milhões de lâmpadas por ano.

Quer ver os vídeos na íntegra? Clique aqui para ver o salão sustentável e aqui para ver o projeto de controle da amálgama nos consultórios odontológicos.

 

 

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

Um comentário em “Soluções sustentáveis que está mudando a rotina dos empreendimentos

  • 31 de outubro de 2012 em 14:24
    Permalink

    É muito importante que as empresas estejam pensando na questão ambiental e revendo seus conceitos sobre utilização de vários elementos e reaproveitamento de produtos. É muito interessante trazer estes exemplos, mostrando a outros empreendedores da área que é possível aplicar as mesmas práticas sem prejuízos para o negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.