A agroenergia e o poder da batata doce

II Painel: Uso Sustentável da Terra, dos Recursos Minerais e Energéticos

Tema 2: A Utilização da Agroenergia no Contexto do Desenvolvimento Sustentável da Amazônia

A segunda palestra da tarde foi ministrada pelo Dr. Márcio da Silveira, Pró-reitor e Professor Adjunto da Universidade Federal do Tocantins (UFT). Sua palestra foi maravilhosa, eu diria até que eu poderia ficar aqui rasgando sedas para ele naturalmente, mas é porque o cara merece mesmo. Ele fez um apanhado de informações, com muita propriedade e referência com relação ao biodiesel de batata-doce.

batatadoce

De início deu uma pincelada no que seria esta tal de agroenergia e lembrou que na nossa Amazônia Legal cabem vários países europeus, só para lembrar o quanto oponente nosso território é, com 10% da população brasileira (20 milhões), cultura própria e ainda a riqueza de diversidade como são as 180 nações indígenas existêntes.

Aí veem a revolução verde que é o mesmo que o aumento do consumo de carbono fóssil, a agricultura em tempos de terror teve suas culturas pervertidas e contaminadas por DDT (existem casos de ser encontrado até no leite materno). Os anos foram passando e a demanda do consumo de energia foi aumentando, o Brasil tem 54 % de área de preservação, 11% de terra para carbono verde (carbono sintético) e ainda é … ainda é … ainda é um grande exportador de matéria prima agrícola.

Para se ter uma ideia, um computador (+ – 1500 dólares) que é vendido por países fabricantes é o mesmo que 2,2 toneladas de café, 7 de soja, 12 de milho, 34 de batata doce, 25 de mandioca e 69 toneladas de cana. Assim dá para perceber o quanto nosso país é explorado e o quanto de produto energético deixamos escorrer por nossas mãos.

Para que haja uma sustentabilidade com a agricultura alimentar (a fome é um problema maior que a falta de energia)  e agricultura energética, deve-se haver uma integração destas partes, para que os 2 mercados, tanto o de alimento quanto o de energia gerem um vetor social e também econômico.

Esta história começou no Brasil bem antes doque imaginávamos, em 1920 já se pensava em carros movidos a álcool pelo Instituto Biocombustível. Aqui no Tocantins (UFT) o carro chefe é a batata doce, que é:

  • Uma planta de uso múltiplo;
  • Fácil cultivo;
  • Adaptação a solos de baixa e média fertilidade;
  • Foi uma cultura selecionada pela NASA para ser plantada em missões espaciais de longa duração, pela sua eficiência fotosintética;
  • Aproveitamento das ramas como fonte de proteína;
  • Ciclo curto de duração (5 a 6 anos);
  • Alta variabilidade genética;

Acho que deu para convencer um pouco, não é? rs Na verdade foram apresentadas até comparativos com a cana de açucar e as diferenças eram bem nítidas também. A China é um país no qual a batata é aproveitada completamente, além de que a área plantada é bem maior, enquanto o Brasil tem aproximadamente 500 mil toneladas, a China tem uma plantaçãozinha de uns 500 milhões de toneladas ( =] ) mas também a população lá… prefiro não comentar!!

A grande sacada do uso da batata doce como produto do biodiesel é aquela …, se eu te perguntar – se tirar a batata doce de sua mesa, faria muita diferença? – eu creio que sua resposta de início pode ser que seja SIM, mas se eu te perguntar qual foi a última vez que você comeu uma batata doce?, aí a coisa pega, é provável que você nem se lembre. Perceba que é diferente do uso do milho (que é usado em países como os EUA).

Uma parte interessante de se trabalhar com a batata doce, são alguns produtos gerados além do biodiesel, como bebidas (shodu), sweet ice (como se fosse uma Smirnoff ice), vodka, cosméticos (mercado orgânico) e até farmacêuticos.

____________

Nota do autor : 1 – Hoje, dia 05 de setembro é o  DIA DA AMAZÔNIA,  acho que estas matérias vieram em boa hora! Este dia, é comemorado nada mais, nada menos do que para relembrar as pessoas que a Amazônia precisa de cada um de nós. PRESERVE-A.

2 – Matéria relacionada ao III Simpósio “Amazônia: Desenvolvimento Sustentável e Mudanças Climáticas“.

Também achei justo, colocar a matéria na categoria 1/2AmbientDay.

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

Um comentário em “A agroenergia e o poder da batata doce

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.