Carta ao Partido Verde

Coluna #BioVerde

“Recentemente fiquei sabendo que o presidente do PV Nacional, José Luiz Penna, convocou os membros da Executiva Nacional do partido para reunião a ser realizada na próxima quarta-feira, dia 13, na sede do Partido em Brasília (DF), ocasião em que será anunciado o posicionamento oficial do Partido Verde no segundo turno das eleições presidenciais.

Primeiramente, gostaria de parabenizar toda a equipe do PV pela iniciativa de ouvir a população brasileira sobre essa questão tão relevante, pois vocês, mais do que ninguém, sabem que a “onda verde” mexeu profundamente com nosso país.

Acho que essa iniciativa de ouvir o eleitorado demonstra claramente o valor que o PV dá ao sentido de democracia.

É muito bom saber que nós, eleitores, podemos fazer a diferença, tanto no voto como em outros momentos, como agora. Acredito que esse espaço aberto pode ser uma importante ferramenta de auxílio às lideranças políticas do PV na tomada dessa decisão tão crucial, e espero que em outras questões essa disposição de ouvir a população se repita.

Acho que o posicionamento do PV deve levar em conta, prioritariamente, a manutenção das propostas feitas ao longo dos últimos meses de campanha. O Partido deve ser sensato, o que implica numa manutenção dos princípios que fizeram com que uma parcela expressiva de nosso povo confiasse nele.

Além disso, considero relevante que cada Executiva Estadual do PV pondere a atual situação política de sua Unidade da Federação, considerando o contexto local e regional.

Acredito que as Executivas Estaduais do PV devem ter em mente que, independente de quem venha ganhar o segundo turno, o Partido Verde deve ser coerente com suas propostas e ter compromisso com cada voto que recebeu nessa eleição. “É preciso ter visão de longo prazo, uma visão pautada no planejamento estratégico, responsável com as presentes e futuras gerações”, parafraseando a própria Marina Silva.

Assim, o PV deve ser firme e ponderado; deve estabelecer uma sintonia saudável com o governo federal, sempre visando buscar mais recursos nas diversas áreas (educação, saúde, meio ambiente etc.) e influenciar na eficiência do serviço público como um todo, para dessa maneira atender aos anseios da população brasileira.

Nós, enquanto defensores dos interesses locais e estaduais, podemos, sim, divergir em idéias e posicionamentos do governo federal, mas isso não pode atrapalhar o avanço de nossas cidades e da nossa Unidade da Federação, especialmente nessa hora em que vemos muitas mudanças boas acontecendo.

No mais é isso.  Um abraço e sucesso ao PV”

Por Giovanni Salera Júnior é Mestre em Ciências do Ambiente e Especialista em Direito Ambiental. Atualmente é Analista Ambiental do Governo Federal.

Nota do editor:  O Blog VivoVerde é totalmente apartidário, esta é uma visão do colunista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.