Empresas apresentam garrafas à base de plantas que se degradam em um ano

A empresa holandesa Avantium busca reduzir a dependência do mercado de combustíveis fósseis (o petróleo, principal matéria prima para o plástico), desenvolvendo plástico totalmente vegetal. O novo material plástico desenvolvido é feito de açúcar de milho, trigo e beterraba.

Este material feito de açúcares vegetais se decomporia completamente dentro de um ano em uma composteira.

“Este plástico tem credenciais de sustentabilidade muito atraentes porque não usa combustíveis fósseis e pode ser reciclado – mas também se degradaria na natureza muito mais rapidamente do que os plásticos normais”

disse o executivo-chefe da Avantium, Tom Van Aken, ao The Guardian.

As novas garrafas à base de plantas se dissolverão em alguns anos se deixadas do lado de fora em condições normais. Isso pode fazer uma grande mudança no mundo, já que a poluição por plásticos é uma questão importante nos dias de hoje e continua crescendo. Garrafas de plástico e pedaços de microplástico podem ser encontrados em todas as praias do mundo e estão afetando a vida marinha. Este plástico é considerado uma alternativa muito atraente, pois não há combustíveis fósseis envolvidos no processo de fabricação.

Em 1950, uma população global de 2,5 bilhões produzia aproximadamente 1,5 milhão de toneladas de plástico. No entanto, em 2016, uma população de mais de sete bilhões produziu mais de 320 milhões de toneladas de plástico. Espera-se que esse número continue crescendo e dobrará até 2034. Portanto, qualquer esforço para reduzir a produção de plástico é vital.

Myriam Shingleton, vice-presidente de desenvolvimento de grupo da Carlsberg, afirmou que a empresa pretende inovar em todos os seus formatos de embalagem: “Estamos satisfeitos com o progresso que fizemos até agora no Green Fiber Bottle. Enquanto ainda não estamos completamente lá, os dois protótipos são um passo importante para realizar nossa ambição final de trazer essa inovação ao mercado”.

“A inovação leva tempo e continuaremos a colaborar com os principais especialistas para superar os desafios técnicos remanescentes, assim como fizemos com o nosso Snap Pack de redução de plástico”, continuou ela.

Fonte: Boredpanda | Créditos das imagens paperflare e carlsberg

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do Portal VivoVerde, nascida e residente de Minaçu/GO e há 12 anos escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultor, ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV | 063999990294

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.