Coopercam lança projeto ambiental Recicla+

Imagem: Divulgação

O lixo em geral é um grande problema para o meio ambiente. As muitas décadas de descarte incorreto têm acumulado não somente montanhas de dejetos, como também danos à vida do planeta terra em geral.  Reverter essa situação tornou-se uma obrigação dos tempos atuais, pois a destinação correta do lixo é garantir a vida das gerações futuras. Afinal, essa ação também faz parte dos cuidados prementes com o meio ambiente.

Felizmente, muitas pessoas têm, cada vez mais, se preocupado com o descarte correto do lixo. Muitas cidades já adotam a separação de lixo orgânico e recicláveis, por exemplo. Mas, dentro de casa, mora um perigo bem grande ao meio ambiente: as pilhas e baterias. Caso esses materiais não sejam descartados corretamente, causam muitos danos ao meio ambiente e ao homem.

Na composição dessas pilhas e baterias estão metais pesados como o cádmio, o chumbo e o mercúrio, que são extremamente perigosos à saúde humana. Dentre os males provocados pela contaminação com esses componentes está o câncer e as mutações genéticas.

Mas é importante saber que as pilhas e as baterias em funcionamento não oferecem riscos. O problema surge quando elas são descartadas no lixo comum e passam por modificações na cápsula que as envolvem. Ou seja, quando sofrem amassos, estouros ou vazam o líquido tóxico de seus interiores. Esse material tóxico se acumula, torna-se lixo não biodegradável (não é consumido com o passar dos anos) e contamina o solo e lençóis freáticos. Atualmente, a legislação brasileira exige que os fabricantes recebam de volta pilhas e baterias e deem a elas o destino adequado.

Recicla+

Pensando nisso, a Cooopercam resolveu abraçar a causa do descarte correto de pilhas e baterias. Assim, nasceu o Recicla+, um projeto ambiental para ajudar o meio ambiente a ter menos lixo tóxico.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, o Brasil produz cerca de 800 milhões de pilhas por ano. Estima-se que cada brasileiro consuma menos de cinco pilhas comuns anualmente. “Esses números impressionam quando pensamos que boa parte desse material vai para o lixo comum e causa muitos danos ao meio ambiente”, explica Pâmela Corrêa, responsável pelo marketing da Coopercam.

Como a Coopercam já é ponto de coleta de embalagens de agrotóxicos (que também necessitam de um descarte correto), a Cooperativa uniu o útil ao agradável. “De forma regular, enviamos essas embalagens para uma empresa especializada e vamos aproveitar a ‘carona’ para despachar também pilhas e baterias que não serão mais utilizadas por nossos cooperados e colaboradores”.

Caixas específicas para receber esses materiais estão disponíveis nas lojas da Coopercam em Campos Gerais, Campo do Meio e distrito de Córrego do Ouro. “A nossa ideia é que não somente colaboradores e cooperados criem o hábito de trazer essas pilhas e baterias para a Coopercam. Queremos que toda a comunidade se sinta à vontade para abraçar essa causa com a gente”, finaliza Corrêa.

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do Portal VivoVerde, nascida e residente de Minaçu/GO e há 12 anos escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultor, ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV | 063999990294

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.