Fruto da palmeira juçara ganha a mesa dos brasileiros com produção sustentável que preserva a floresta e gera emprego no campo

Rico em nutrientes, o açaí da Juçara, alimento nativo da Mata Atlântica, conquista consumidores com cadeia de produção orgânica e sabores refrescantes.

Banana, cambuci e maracujá são alguns dos sabores tropicais que se misturam e fazem uma perfeita combinação com a versátil Juçara. Proveniente de uma palmeira nativa da Mata Atlântica, o fruto, genuinamente brasileiro, que deu origem ao Juçaí, ganha cada vez mais protagonismo no mercado e chama atenção de consumidores, principalmente, pela cadeia de produção sustentável e pelas suas características nutricionais do produto que é vegano, sem lactose, até 50% mais rico em ferro e poder antioxidante até quatro vezes maior que o açaí tradicional.

“Um dos atributos do açaí da Juçara é que ele é facilmente adaptado com outras frutas – por isso, e alinhado com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre a Mata Atlântica, estamos constantemente avaliando inovações para levar essa diversidade de sabores ao consumidor. Neste verão de 2020/21, por exemplo, lançaremos o Juçaí Amora como edição limitada”, diz Daniela Faissal, gerente de marketing da marca.

Relação com a Mata Atlântica

A Juçara (Euterpe edulis Martius) é uma espécie em extinção devido à extração ilegal do seu palmito cujo processo de retirada implica necessariamente na derrubada da árvore. Ao longo do tempo, a obtenção do palmito por meio do simples extrativismo levou a espécie à lista de flora brasileira ameaçada de extinção. Ainda hoje a extração ilegal permanece como uma das principais ameaças à palmeira. Pensando nisso, em 2009, um grupo de empreendedores cariocas investiu na ideia de produção sustentável do produto e assim nasceu o Juçaí.

A espécie é de extrema importância para a conservação de florestas no bioma da Mata Atlântica e sua preservação assegura alimentação de mais de 70 espécies de animais, como como tucanos, sabiás, gambás, tatus, esquilos, além de regulação do fluxo dos mananciais, manutenção da fertilidade do solo, proteção das encostas das serras, entre outras funções. A palmeira tem importância significativa no contexto ecológico da floresta, podendo ser considerada como espécie-chave, devido ao fato dos seus frutos ficarem maduros em uma época de escassez de alimentos.

Plantio Sustentável

A produção do Juçaí ocorre na Serrinha de Lambari, no Rio de Janeiro. A colheita de Juçara e produção de polpa acontece em diversas localidades na Mata Atlântica, em especial no Espírito Santo e Paraná. Habilidosos nativos escalam as palmeiras e retiram cuidadosamente os cachos de frutos, deixando 1/3 das frutas intocáveis no bioma para a fauna se alimentar. Desse fruto, é extraída a polpa e a semente é usada em novos plantios – As sementes já permitiram o replantio de cerca de 650 mil palmeiras.

“O processo de produção do Juçaí garante um alimento orgânico, exceto pelo sabor “Banana Zero” – que não tem essa característica pelos substitutos de açúcar usados. Até a água utilizada no despolpamento é reaproveitada”, afirma Bruno Correa, gerente geral da marca.

Atualmente, o Juçaí trabalha com 17 produtos que são vendidos em dois estados do Brasil, no Chile e no Canadá. Ao todo, são mais de 500 pontos de vendas. Sabor, nutrição e sustentabilidade são as marcas do Juçaí.

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do Portal VivoVerde, nascida e residente de Minaçu/GO e há 12 anos escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultor, ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV | 063999990294

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.