Conheça algumas ações humanas que destroem o planeta

Você já ouviu alguma vez aquele ditado “o que você faz tem consequências”? Ele pode ser aplicado quando o assunto é cuidados com o meio ambiente, viu?

Para você ter ideia, mais de 9 milhões de pessoas morreram por conta de problemas ambientais voltados à poluição. Os dados são de um estudo feito em 2015, pela ONU.

Em 2020, por exemplo, uma das florestas australiana pegou fogo. Isso resultou na morte de cerca de 1 bilhão de animais. Isso sem contar a poluição dos oceanos e rios espalhados pelo mundo, não é mesmo?

São diversas as ações tomadas pelos seres humanos que vão, aos poucos, acabando com o meio ambiente e, consequentemente, diminuindo o tempo de vida de todos na Terra.

Abaixo, é possível conferir as principais atitudes tomadas por humanos que vêm acabando com toda nossa biodiversidade. Vamos lá?

Desmatamento de florestas e matas

Fica difícil identificar qual é a área mais afetada pelas ações irresponsáveis do seres humanos. Mas sem dúvida alguma as florestas e áreas verdes são alvos constantes de atitudes anti-ambientais.

Só em julho de 2019, o desmatamento da amazônia aumentou 278% em relação ao mesmo período do ano anterior. A área total desmatada naquela região, durante o mês, ultrapassou os 2.254,8 km².

Em proporções mundiais, mais de 29,7 milhões de hectares foram desmatados. Os últimos dados levantados são de 2016. A situação é muito grave.

As principais causas desse desastre ambiental são a busca desenfreada de recursos naturais e a urbanização. É importante ressaltar que o agronegócio também tem papel determinante nos números acima apresentados: este segmento é responsável por aproximadamente 70% do desmatamento.

Poluição do ar

A poluição do ar é responsável por desenvolver diversos problemas respiratórios na população. Ela é tão perigosa que causa cerca de 9 milhões de mortes por ano. Colocando em um comparativo, ela causa 1 milhão de fatalidades a mais que o cigarro.

Além do problema direto a nossa saúde, a poluição atmosférica causa sérios danos à camada de ozônio, que protege o Planeta e que possibilita que exista vida na Terra.

O aumento de indústrias como as de motor elétrico trifásico, cinta de carga e filme stretch, além do uso de carros, são os principais responsáveis pela alta na poluição.

Poluição de águas e oceanos

Não existe vida sem água. Isso é um fato. Mas vamos relembrar, para quem esqueceu, que esse recurso não é infinito, e a poluição da água nunca foi tão grande como nos últimos anos.

Você tem ideia que, se continuarmos no ritmo de poluição que adotamos atualmente, em 2050, haverá mais plásticos nos oceanos do que peixes? Parece irreal, não é mesmo?

A principal causa da poluição das águas, segundo a ONU, é a alta qualidade de plásticos despejados nos oceanos.

Porém, inúmeras substâncias totalmente nocivas a vida de qualquer ser vivo são despejados no mar, dia após dia. Isso resulta na morte de 100 mil animais marinhos todos os anos.

Em todos esses casos apresentados a única solução é a conscientização. É fundamental promover diversas ações para que as pessoas e, principalmente as indústrias, entendam a importância de cuidar do meio ambiente.

Ainda há tempo de mudar o cenário atual para que ninguém sofra em um futuro que parece cada vez mais próximo.

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, atualmente mora em Campinorte/GO, mas por 15 anos foi uma apaixonada residente de Palmas/TO e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora e ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.