Espaços urbanos mal aproveitados: um problema socioambiental!

Ontem o meu amigo Gustavo Somera levantou uma questão super interessante no twitter, sobre os espaços urbanos mal aproveitados na cidade de Palmas/TO. Você pode acompanhar toda a thread aqui. Mas adianto alguns pontos relevantes:

Fonte: Google Maps

Um lugar do tamanho de uma quadra de Palmas, enorme, com localização privilegiada. Contempla o Palacinho, museu histórico da cidade. Ideal para criar um Jardim Botânico de Palmas. Pertence ao Estado, ideal para PPP (Parceria Público-Privada) ou com a Prefeitura.

Gustavo Somera via Twitter

A praça dos girassóis em si não serve apenas para caminhada e sede do governo. O local tem um grande potencial para exploração turística e também para os cidadãos. Falta uma arborização abrupta.

Gustavo Somera via Twitter

Em sua thread ele ainda lembra do Palácio Araguaia, Praia da Graciosa, a pista do “antigo aeroporto”, áreas privadas localizadas próximo ao lago e também extensas áreas verdes, onde poderiam ser instalados parques com pistas de caminhada.

Palmas é uma cidade planejada, nossa mobilidade é muito engessada em transporte público (atualmente só temos ônibus), carros, motos e bicicletas. Já foram implantados algumas ciclovias, porém, algumas delas com planejamento não muito viável e até mesmo apresentando um péssimo estado de conservação, mesmo sendo recentes.

A cidade conta com muitas áreas verdes, ainda temos a preservação de várias árvores nativas. Temos aqui uma rota de parada para o Jalapão, praticamente todos os turistas passam por aqui, acaba que hostels e até as recepções de hotéis ficam presos a indicar poucos lugares para que o turista possa aproveitar este período de passagem, deixando de aumentar o potencial econômico vinculado ao turismo.

… não é à toa o crescimento de hotéis na cidade. Eu trabalho com hostel e sei do tanto de turista que cresceu desde 2015 até hoje. O cenário é novo e o poder público tem que ajudar a girar a economia criando esses espaços e deixar que o povo dependa só de governo.

Gustavo Somera via Twitter

Eu não defendo que as áreas verdes sejam incluídas no Plano Diretor da capital, até porque, já existe este tipo de mapeamento e muitos destes estão sendo preservados pelos proprietários que aguardam valorização. Mas, acredito que outras áreas podem ter um melhor aproveitamento proveniente do poder público. Inclusive, não conheço em Palmas/TO um projeto visando este tipo de ação futura. Recentemente a área do Parque dos Povos Indígenas foi revitalizado e muitos utilizam deste espaço. Mas gostaria de conhecer um projeto mais amplo indicando estas que foram mencionadas pelo Gustavo Somera. #FicaDica Prefeitura de Palmas!!!

Em 2015 Curitiba iniciou um projeto de mapeamento de espaços urbanos mal aproveitados. “O levantamento popular de áreas não utilizadas e subutilizadas vai mostrar que a especulação imobiliária e a falta de instrumentos municipais para evitá-la impedem que terrenos vazios e imóveis abandonados tenham destinação adequada. Esses lugares deixam de serem aproveitados para moradia ou para locais de usufruto coletivo, como praças e escolas.” Creio que a intenção de Gustavo também possibilita isto, não apenas vinculado ao turismo.

Este é um assunto que está em pauta em várias cidades no Brasil e no mundo, o poder público tem todo a responsabilidade de gerenciar, criar, organizar e implantar ações que possam beneficiar a população, mas vejo que falta muito para melhorar.

Como é a realidade de sua cidade em relação a estes espaços? Conta um pouquinho para mim nos comentários!

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, mora em Palmas/TO há 15 anos e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduanda em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @DaianeVV | Instagram: @DaianeVV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.