RioZoo agora é BioParque do Rio

Administrado pelo Grupo Cataratas, parque ganha um Plano de População e reforça seu trabalho pela conservação das espécies. Novo projeto assegura o bem-estar animal e alia educação ambiental ao conforto dos visitantes.

BioParque, a Aventura Selvagem – Imagem/Divulgação

Um dos mais antigos zoológicos do país, o RioZoo, passa a se chamar BioParque do Rio. Essa mudança, no entanto, não fica restrita ao nome, uma vez que o público passa a conhecer um novo conceito de zoológico, que se transforma em um centro de conservação da biodiversidade.

Dentro desse novo conceito, que segue as melhores práticas mundiais para garantir o bem-estar animal, o BioParque do Rio ganha um Plano de População. Esse plano viabilizará projetos futuros de conservação das espécies e devolução de animais aos seus habitats de origem, além de funcionar como um banco genético, inserindo o parque em um seleto grupo de instituições internacionais que terão protagonismo na “Década da Restauração” (2021 – 2030).

Anunciado no início de 2019 pela ONU Meio Ambiente, o período será dedicado à restauração dos ecossistemas degradados e destruídos, como medida para combater a crise climática, melhorar a segurança alimentar, garantir o fornecimento de água e restabelecer a biodiversidade do planeta. Bons zoológicos do mundo todo terão um papel de destaque na restauração da biodiversidade, seja promovendo pesquisas científicas sobre a genética e o comportamento dos animais, ou mesmo colocando em prática projetos de reintrodução de espécies.

Com abertura ao público prevista para julho de 2020, o BioParque do Rio proporcionará uma experiência imersiva e inédita aos visitantes. A partir de 12 de fevereiro, será possível adquirir o programa de sócio, disponível no site do BioParque do Rio. Com valores a partir de R$ 4,99 por mês*, essa modalidade dará a quem aderir ao plano, a oportunidade de visitar as obras e acompanhar toda a transformação do parque a partir de abril.

“Os sócios terão papel fundamental nesse novo conceitojá que os projetos de pesquisa e conservação serão financiados por parte da receita gerada pelo programa de sócio.”.

Fernando Menezes, diretor do BioParque do Rio

Na nova estrutura do BioParque, a Aventura Selvagem será o local dos animais africanos, como hipopótamos, zebras, girafas e impalas. Com cerca de dois mil metros quadrados, o setor das Aves reunirá mais de 220 animais de 50 diferentes espécies, representantes de biomas como Amazônia, Mata Atlântica e Cerrado. O espaço dará ao visitante a sensação de imersão em uma floresta, onde serão observados tucanos, araras e papagaios.

Um outro espaço é dedicado aos animais de sangue frio, como cobras e jacarés. Toda ambientação se aproxima dos habitats das espécies. Considerados os guardiões da floresta, felinos e canídeos ganham um ambiente inteiro dedicado a eles, onde o visitante poderá observar onça, lobo-guará e leão através de grandes painéis de vidro, uma aventura inesquecível!

Já o ambiente dos animais asiáticos promete encantar os visitantes! Os elefantes poderão ser observados nadando em grandes tanques, através de um enorme painel de acrílico. 

A Fazendinha continuará sendo um local de educação, onde as crianças terão contato próximo com os animais. É lá que se aprende de onde vem o leite e os ovos que fazem parte da alimentação da garotada. O parque ganha também nova área gastronômica, playground, renovação da Alameda das Palmeiras e a criação do Boulevard Histórico.

“Recentemente nos filiamos a ALPZA (Associação Latino Americana de Parques, Zoológicos e Aquários) num rigoroso processo de admissão, reforçando que o BioParque do Rio já nasce como um Centro de Conservação da Biodiversidade alinhado com as melhores práticas”, afirma Bruno Marques, presidente do Grupo Cataratas

BioParque já nasce como Centro de Conservação da Biodiversidade

O conceito de zoológico se transformará por completo, deixando de ter um caráter expositivo para se tornar um Centro de Conservação da Biodiversidade, com importantes programas de educação e pesquisa para a conservação. Tudo isto será feito em parceria com as instituições de pesquisa e universidades de todo país.

Há, ainda, projetos de pesquisa que serão anunciados em detalhes mais adiante que contemplarão espécies como os guarás, que estiveram presentes na Baía de Guanabara há 100 anos; ararajubas, onça pintada, entre outros.

Animais não serão retirados da natureza

Dos animais que integram a Aventura Selvagem, alguns já fazem parte da população do BioParque do Rio e outros virão de instituições nacionais e internacionais e terão um papel relevante para a pesquisa e conservação das espécies.

Entre as espécies que não são nativas do Brasil, como a girafa que se encontra ameaçada em seu habitat, o estudo de comportamento e reprodução sob cuidados humanos possibilitará que esses animais se tornem instrumento de conscientização das atuais e futuras gerações. As girafas do BioParque do Rio poderão contribuir com a genética da espécie e manejo da população na América Latina. Além disso, o BioParque está em tratativas com o governo da África do Sul para apoio a projetos de conservação das girafas em seu habitat.

“O Plano de População desenvolvido pela equipe do BioParque vai garantir que os animais tenham um propósito, sendo associados ao tripé educação, pesquisa e conservação. Por exemplo, já iniciamos projetos de pesquisa e reintrodução com espécies como cutias e antas, que foram recentemente reintegradas à Natureza, voltando a cumprir com seu papel que é fundamental no ecossistema de Mata Atlântica”.

Fernando Sousa, diretor Institucional e Sustentabilidade do Grupo Cataratas

Daiane Santana

Daiane Santana é a idealizadora do #VivoVerde, atualmente mora em Campinorte/GO, mas por 15 anos foi uma apaixonada residente de Palmas/TO e há 11 escreve neste site. Formada em Engenharia Ambiental, pela UFT – Universidade Federal do Tocantins, pós-graduada em Gestão de Recursos Hídricos e Segurança do Trabalho. Atua como consultora e ministra treinamentos nas áreas de meio ambiente, segurança do trabalho e está a disposição do mercado de trabalho. Contato: contato@vivoverde.com.br | daiane@vivoverde.com.br | Twitter - @VivoVerde | Instagram: @DaianeVV

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.